Pesquisar este blog

Kriya Yoga e Hong So

Hong So Como Técnica Para Meditar


Inicie praticando os EXERCÍCIOS ENERGÉTICOS de recarca.
A técnica de Hong So, praticada diariamente leva o praticante a diminuir drasticamente seja os batimentos cardíacos que a respiração e leva ao desligamento dos sentidos físicos, condição propícia a meditação e a concentração.
Durante a concentração é necessário liberar a atenção das distrações. A mente da pessoa comum é inquieta, mesmo quando realiza um verdadeiro esforço para concentrar-se. Por mais que tente enfocar sua mente em um determinado assunto, se distrai e se "concentra" em qualquer outra coisa imaginável. Quando a atenção permanece assim inconscientemente escravizada aos objetos que a distraem, os esforços para concentrar-se produzem escassos frutos.
A técnica do Hong So ensina o meditador conectar e desconectar os desejos da corrente vital do corpo e como conseguir um relaxamento perfeito. A falta de atenção durante a prática desses exercícios produzem sonolência mas ao executá-los com concentração, acontece uma vibrante sensação de vida divina em todas as células do corpo.
Para praticar esta técnica de concentração é conveniente sentar-se em uma cadeira de encosto reto, coberta com um cobertor de lã. O cobertor deve estender-se também abaixo dos pés, a fim de isolar o
corpo das influencias e perturbações magnéticas da terra. Sentar-se com as costas retas, em direção ao leste, e sem tocar o encosto da cadeira com a coluna vertebral ou em uma posição de meditação como sugerido anteriormente.
Durante a prática mantenha sempre a espinha dorsal e a cabeça erguidas, em linha reta. O corpo deve encontrar-se relaxado e as mãos com as palmas viradas para cima, descansando sobre as coxas.
Com os olhos fechados ou semi-fechados, dirija a visão ao olho espiritual (ponto entre as sobrancelhas), isto é, virar os olhos acima 30 graus, sem cruzá-los. Deste centro de calma e concentração, tome consciência de sua respiração, observe mentalmente o fluir natural do ar que entra e sai.
É impotante não forçar em algum modo a entrada e saída do ar, mediante a vontade. Em vez disso procure observar simplesmente o fluxo da sua respiração, com a mesma atitude desapegada com que observaria a respiração de outra pessoa.
Inspirando, cante mentalmente "Hong" e mova ao mesmo tempo o indicador da mão direita até a palma da mão. ("Hong" se pronuncia como a primeira sílaba de Hong Kong.) e expirando cante mentalmente "Sôu", afastando simultaneamente o dedo indicador da palma da mão.
O único propósito de mover o dedo indicador é ajudar a distinguir a entrada e a saída de ar, pois normalmente não estamos acostumados a focar nossa atenção na respiração. Quem não tiver dificuldade em diferenciar a entrada e saída do ar e conseguir usar a palavra correta ("Hong" ao entrar o ar e "Sôu" ao sair) em cada fase da respiração, não necessitará mover o dedo indicador.
Ao cantar mentalmente as palavras "Hong" e "Sôu" não deve efetuar-se nenhum movimento com a língua. Cada som no universo tem um equivalente mental específico e um efeito mental determinado. "Hong" e "Sôu" são duas palavras sânscritas sagradas que tem uma relação vibratória com a entrada e saída do ar. A repetição mental de "Hong" na entrada e "Sôu " na saída de ar, produz um notório efeito calmante sobre a mente e ajuda a pessoa a concentrar-se neste exercício que consiste em observar a estrada e saída do ar.
A prática correta e contínua desta técnica lhe dará grande calma, e gradualmente alcançará a realização de sua verdadeira identidade, como alma, a qual é superior ao corpo físico e existe independentemente do mesmo.
Pratique a técnica de Hong-So durante os períodos de meditação tanto na manhã como a noite. Pode executá-la, também durante seus momentos livres, enquanto viaja em um ônibus, ou em qualquer oportunidade em que seja possível sentar-se sem ter que atender outras obrigações.
Quando praticar Hong-So em um lugar público, observe o ar e cante mentalmente "Hong" na entrada de ar e "Sôu " na saída, sem mover o dedo ou fechar os olhos ou fixar a visão no ponto entre as sobrancelhas, já que isso poderia chamar a atenção das pessoas que te rodeiam).
Mantenha os olhos abertos, olhando tranqüilamente adiante em algum ponto determinado.
Os movimentos inquietos dos olhos refletem a inquietude dos pensamentos; assim, se os olhos continuam observando e percebendo os objetos e cenas diferentes, essas percepções visuais originarão outros pensamentos inquietos. Mantenha os olhos serenos e quietos.
Durante seus momentos livres, se desejar, pode praticar Hong-So deitado sobre uma cama, mas cuidado, isso pode levá-lo a sonolência. Como regra geral, a técnica de "Hong-So" deve praticar-se na postura ereta de meditação.
Os melhores momentos para praticar a técnica é entre 5 e 6 horas da manhã, entre as 11 e 12 horas, entre as 17 e 18 horas e entre as 22 e 24 horas (de quinze minutos a meia hora se possível cada sessão, mas se quiser ficar durante horas meditando, não há qualquer contra- indicação)

Ao vigiar a entrada e saída do ar, o meditador adverte que sua respiração se torna cada vez mais lenta e que se calma.
Cada vez mais as atividades do coração e pulmões diminuirão, causando um entorpecimento dos sentidos físicos e uma libertação maior da consciência e do espirito (não é uma técnica de viagem-astral) e quando o homem aprender a transcender a necessidade de ar, ele ascende as regiões celestiais onde moram os anjos.
Esta maravilhosa técnica de Hong-So é uma das maiores contribuições da ciência espiritual da India ao mundo, pois ensina como prolongar a vida e como transcender, por meio de um método simples e prático, a consciência corporal a fim se perceber-se a si mesmo como Espirito Imortal.
Durante o sono experimentamos somente o relaxamento sensorial, mas durante a morte, devido ao fato que o coração se detém, sobrevive um relaxamento involuntário e total.
Se quiser controlar os batimentos do coração, você pode experimentar a morte consciente, como a experimentada por Paulo de Tarso ("Morro diariamente" - Epistola primeira aos Coríntios 15:31) e muitos yogues da India. Mediante a prática desta técnica, eles conseguiram o perfeito domínio na arte de abandonar o corpo voluntariamente, honrosamente e prazeirosamente. A morte não os tomou por surpresa, nem foram expulsos rudemente ao expirar o arrendamento de seu corpo- templo.
O próprio Yogananda deixou a vida terrena voluntariamente.
Esta é uma técnica propiciatória ao Kriya Yoga.
Kriya Yoga é uma antiga técnica que tinha sido esquecida pela humanidade por séculos e ressuscitada pelo Mahavatar Babaji que a ensinou a Lahiri Mahasaya, dando disposições para que fosse de novo propagada pelo mundo. O kriya yoga mostra os caminhos para a bem-aventurança, o auto conhecimento, que é a meta final de todo yogue.
Yogananda dizia que para conhecer a Deus são necessários um milhão de anos de encarnações sucessivas persistindo na determinação de entender a natureza divina. Isso sem cometer erros graves nem acumular karmas pesados. Porém, através da Kriya Yoga, o praticante pode fazer o mesmo em 3, 6, 12, 24 ou 48 anos, dependendo da sua vontade e persistência.
"O Kriya Yoga na verdade tem um apelo muito popular. Todos ficam ansiosos para recebê-lo, depois de lerem o livro Autobiografia deUm Yogue .
A iniciação ao Kriya se dá em uma cerimônia muito bela, inspiradora e solene, tem por objetivo imprimir na consciência do devoto a importância deste passo decisivo em seu percurso espiritual.

Se trata de um ensinamento dedicado somente a quem realmente procura a Deus intimamente e está disposto a abandonar os desejos da carne para se dedicar mais a Ele.
Não é um ritual "esotérico" ou "oculto", mas uma cerimônia devocional que simboliza o vínculo sagrado de lealdade e amor mútuo que se estabelece entre o Guru e seus novos discípulos. Esse vínculo já é estabelecido, espiritualmente, no momento em que o estudante recebe a aprovação para receber as lições de Kriya. A cerimônia apenas o formaliza.
Lahiri Mahasaya cuidadosamente subdividiu o Kriya em quatro iniciações progressivas. Ele concedia as três técnicas superiores somente depois que o discípulo mostrasse progresso espiritual definido.
Paramahansa Yogananda organizou em um conjunto de lições, não somente as técnicas de meditação no Kriya Yoga, mas legou ao mundo um compêndio de ensinamentos escritos em intensa comunhão divina.
Através deles o Mestre nos fala ao espírito, compartilha sua imensurável sabedoria e nos fortalece de maneira prática, para as numerosas situações do quotidiano.
Seguindo as principais recomendações do Mahavatar Babaji, acerca de um necessário período de treinamento espiritual prévio como preparo à prática de Kriya Yoga, Paramahansaji nos ensina três técnicas preliminares e não menos importantes que o própria kriya: Concentração (Hong-so), Exercícios de energização, com alto poder de cura e equilíbrio fisiológico e a Meditação no Om, o som cósmico.
"Todo aquele que receber esta mensagem com o coração receptivo, não caminhará insatisfeito. Seu coração se converterá em um maravilhoso cálice de realização que se expandirá gradualmente, para receber o oceano do Infinito, o poder do Espírito Eterno". Paramhansa Yogananda.