Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Alguns Alimentos Inflamatórios que Você Deveria Evitar para Ter Boa Saúde




Sabemos que a inflamação está na raiz de muitas doenças sérias. O câncer perpetua-se pela inflamação: tumores crescem conforme o processo inflamatório toma conta. 

Da mesma forma, problemas como artrite, doenças autoimunes, problemas neurológicos, fibromialgia, diabetes, mal de Alzheimer, problemas cardiovasculares e obesidade têm sido relacionados à inflamação crônica no corpo.

Dietas anti-inflamatórias são importantes, podendo reduzir a inflamação, aliviar os sintomas e até reverter a doença. 

Alguns alimentos anti-inflamatórios incluem folhosos verde-escuros, uvas roxas, nozes, sementes e legumes coloridos. 
Além de tudo o que alcaliniza o organismo.


Mas, você já se perguntou quais os alimentos que mais causam inflamação e devem ser evitados? 

Aqui está uma lista de alguns dos alimentos mais inflamatórios:


Derivados de farinha branca


Vamos entender melhor esta coisa da farinha.

A diferença essencial entre a farinha branca e a integral está na quantidade de nutrientes e na presença de fibras da farinha integral. Os alimentos integrais são ricos em fibras, saciam a fome mais facilmente e são melhores aproveitados pelo organismo.

A farinha branca passa por um processo de refinamento que elimina grande parte de seus nutrientes. 

A farinha integral, por outro lado, não passa por esse processo e preserva seus nutrientes, que incluem proteínas, minerais, vitaminas e fibras.

Tem gente dizendo que a farinha contém amido que se transofrma em glicose, etc. e tal. Vamos entender bem o que é o amido e a glicose para não confundir as coisas.

O amido é um polissacarídeo utilizado pelos vegetais como reserva energética. Podemos encontrá-lo em raízes, tubérculos e sementes. Sua síntese é consequência do excesso de glicose da fotossíntese.

A glicose é o monossacarídeo mais utilizado como fonte de energia pelos seres vivos.

Ela é fabricada pelos vegetais por meio da fotossíntese e também é armazenada em forma de glicogênio pelos animais.

Os alimentos ricos em glicose são chamados de energéticos e, com exceção do mel, todos são de origem vegetal, como arroz, trigo, aveia, batata, mandioca, cenoura, beterraba, feijão, ervilha, soja, frutas, entre tantos outros. 

A glicose, glucose ou dextrose é um dos carboidratos mais importantes na biologia. As células a usam como fonte de energia e intermediário metabólico.

O problema de ingerir grandes doses de glicose é que seus níveis aumentam repentinamente causando um grande estresse ao pâncreas que não consegue metabolizá-la adequadamente. (Não libera insulina suficiente para que seja feita sua quebra e eliminação em forma de energia).

Quando a glicose no seu sangue atinge picos, você acaba tendo um processo inflamatório.

A farinha (branca ou integral) também contém glúten.

O glúten é uma proteína grande formada por duas menores (gliadina e glutenina) e presente em vários cereais como o trigo, centeio, cevada, aveia e malte.

Isso quer dizer que alimentos derivados dele, como produtos feitos com farinha de trigo e cerveja, possuem glúten. 

Pessoas celíacas não podem consumir glúten mas à parte isto,  seu problema é que ele é uma cola, obviamente ele gruda no intestino impedindo a passagem do bolo fecal e assim causa inflamações. Por esta razão grande parte das pessoas está inflamada.

Batatas fritas

“O problema é que fritar alimentos no óleo em temperaturas extremamente altas – o suficiente para criar uma borda crocante – produz uma neurotoxina chamada acrilamida”, relata o Instituto Nacional do Câncer, “que provoca inflamação”.

Uma maneira de resolver esse problema é diminuir o tempo de fritura ou assar no forno em baixas temperaturas. Para evitar o problema, asse as batatas no forno.


Salsichas grelhadas


O maior problema com salsichas, e você também deve incluir o bacon aqui, é que contêm nitratos. Nós sempre ouvimos que nitrato é um químico cancerígeno que causa inflamação. Pior: nós cozinhamos gordura animal em altas temperaturas na grelha e as “marquinhas” pretas que surgem do contato com a grelha – chamadas creosote – são cancerígenas também.

A vitamina C pode protegê-lo de nitratos, por isso, se você aprecia estes alimentos, consuma bastante goiaba, kiwi, morango, laranja, pimentão, brócolis, couve-de-bruxelas, goji berry, cranberry e caju. Se quiser contornar o problema totalmente, é melhor assar os alimentos.


Álcool


Em pequenas quantidades, o álcool não deve causar problemas. Mas o álcool é naturalmente irritante para o nosso interior. Beber muito pode permitir que as bactérias passem do forro intestinal para a corrente sangüínea, provocando a inflamação.


Pipoca de microondas


O aroma artificial de manteiga na pipoca tem sido associado à inflamação. Isto é prejudicial tanto aos pulmões quanto ao fígado, e a fumaça do saco de vapor é conhecida por irritar muito o pulmão, imagine só o malefício que ela pode causar no seu sistema digestivo. Também contém gorduras de óleos parcialmente hidrogenados e altamente processados. Quando cozidos a uma temperatura elevada, formam a gordura trans, também inflamatória.

Uma boa tática é colocar 4 colheres de sopa de milho de pipoca em um saco de papel marrom e dobrar a parte superior firmemente. Leve ao micro-ondas por dois minutos ou até que uma quantidade certa de grãos tenha estourado.



Alimentos artificialmente coloridos


Corantes artificiais são sintetizados a partir de subprodutos do petróleo que podem causar problemas na química do organismo e das funções hormonais, o que pode levar à inflamação. Muitos corantes alimentares permanecem em uso no Brasil, e os organismos de controle são ineficientes e inadequados. Tome muito cuidado.

Em mais uma tentativa de controlar a venda e o consumo de certos produtos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou que todos os alimentos e medicamentos que incluam o corante sintético tartrazina, por exemplo, em sua composição devem exibir um aviso no rótulo.

Porém, como a ordem ainda não está sendo cumprida, os alérgicos ao produto ou a outros corantes continuam se expondo a riscos. Eles se comportam como se estivessem no escuro, provando uma coisa aqui ou um veneno ali, sentindo as reações e cortando os produtos de suas listas.

Alguns pesquisadores acreditam que os corantes artificiais sejam responsáveis por vários males: enxaqueca, mal de Alzheimer e mal de Parkinson.

Alimentos industriais e mesmo alguns remédios que contêm corantes artificiais causam alergias que podem provocar até um edema de glote —reação alérgica grave que pode levar à morte se não houver uma intervenção médica rápida.

Os corantes campeões em alergia são os azocorantes ou corantes amarelos, como a tartrazina, o ponceau e o amarelo crepúsculo; e os não azocorantes, como o azul brilhante, a eritrozina e a indigotina.

Como alternativa, doces com corantes e aromatizantes naturais como bala de goma, pirulitos e chicletes estão disponíveis em diversas lojas e mercearias. Pigmentos naturais são derivados de beterraba e cenoura.

Dê preferência para produtos não industrializados mas se isto não for possível, procure sempre pelos rótulos que dizem “não contém corantes artificiais, aromatizantes ou conservantes”.


A sua saúde agradece!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao