Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de março de 2017

Shank Prakshálana

Técnica Para Desintoxicar O Organismo


Hoje vou escrever sobre uma técnica milagrosa para limpar e desintoxicar o organismo. 

Esta técnica vem sendo praticada com sucesso há muitos séculos na India, nos Hospitais Ayurvedas. 

É uma técnica poderosa embora seja bastante simples. 
Ela cura previne doenças relacionadas ao acúmulo de toxinas no organismo, revigora, melhora a concentração e prolonga a vida.

As doenças decorrentes diretamente da auto-intoxicação são: cirrose, reumatismo, disenteria, problemas de coração, doenças de pele, mal hálito, pedras nos rins, insônia, dor ciática e anemia. São devidos à recirculação das toxinas.

Aqui está uma síntese significativa dos principais conseqüências da constipação em diferentes níveis do organismo:
- Estômago: perda de tônus estomacal, ptose estomacal, úlceras, câncer. Em muitos casos, esta é a causa do mau hálito.
- Rins: pedras e dores renais.
- Sistema nervoso: insônia, depressão, irritabilidade, histeria.
- Pernas: ciática, estase venosa que levam a veias varicosas.
- Fígado: congestões hepáticas, pedras na bexiga, intoxicações hepáticas.
- Apêndice: apendicite aguda ou crônica.
- Sangue: anemia, modificações patológicas da composição do sangue (que influencia todos os órgãos e células no corpo).
- A parte inferior do abdômen: estagnação do sangue, infecções crônicas dos órgãos genitais femininos (útero, ovários, tuba uterina), e deslocamento do útero.
- Pele: erupções de diferentes naturezas

O verdadeiro drama desses constipações por incrustações é que não há órgãos de purificação ou limpeza entre a membrana do cólon e o fluxo de sangue, assim os venenos filtram diretamente no sangue e, em seguida, vai para as áreas mencionadas (pele, rins, pulmões, etc.)

Se esses venenos destilados no interior do cólon se infiltrarem no sangue por muitos anos, como muitas vezes acontece com as pessoas modernas, podemos imaginar seus efeitos negativos profundos sobre o processo de envelhecimento. 

A permeabilidade do cólon é extremamente alta, por isso muitos medicamentos são administrados na forma de supositório, porque, desta forma, chegam diretamente na corrente sanguínea.

A vida sedentária também favorece a auto-intoxicação. Enemas não representam uma solução. Elas produzem constipação e alteram os movimentos de expulsão interno do intestino grosso.

O método ideal é realizar Shank Prakshalana.

A água de ingestão pela boca chega ao estômago onde é conduzida por movimentos simples aointestino grosso e ao reto lavando tudo o que encontra pelo percuroso. O exercício deve ser continuado até que a água saia tão limpa quanto entra. 

Não envolve grandes dificuldades nem esforços, nem perigo algum e é recomendado para qualquer pessoa, com a condição de que a técnica seja feita corretamente.

Shank Prakshálana ou Varisara dhauti significa a "limpeza da concha", por causa da semelhança do sistema digestivo sinuoso com os corredores de uma concha. 

É um exercício yógico fundamental.

É surpreendente ver que não encontramos nenhuma alusão a isto na (já muito vasta) literatura consagrada ao sistema de Yoga no Ocidente. 
Mantida em segredo por muito tempo, não encontramos nenhuma descrição técnica do Shank Prakláshana nos nos números livros de Yoga no Ocidente. Exceto no meu livro Renascer Pela Yoga à venda no site Amazon
Isso prova mais uma vez que a yoga ainda é algo que precisa ser descoberto por muitos.


Efeitos benéficos


O primeiro efeito é de natureza eliminatória, que consiste na evacuação total dos sedimentos incrustados na membrana mucosa do intestino grosso.

Os praticantes para quem uma evacuação "normal" e diária cria a ilusão de que não estão constipados, vai ver em seus excrementos cascas de frutas, sementes, cabelo, etc., que ficaram incrustados no cólon ou reto por meses ou mesmo anos.

Praticando Shank Prakláshana significa que todas essas impurezas sejam eliminadas, eliminando o risco de intoxicação devido à presença das toxinas destiladas permanentemente no organismo.

Alguns efeitos benéficos não aparecem imediatamente, mas já podem ser notados depois de 2-3 dias por meio de um hálito mais fresco, melhor qualidade do sono e o desaparecimento de erupções e espinhas no rosto ou corpo.

Pode-se também notar o desaparecimento de odores corporais. 

A transpiração torna-se inodor, tornando possível abandonar sprays nocivos. 

A pele em geral, se torna mais leve, com aparência mais brilhante e magnética. 

Este processo não é meramente eliminatório, mas é também revigorante. 

Ele fortalece o sistema imunológico, ajuda a aliviar os sintomas de artrite e purifica o sangue. 

Com Shank Prakláshana o fígado é profundamente estimulado. 

Ela também atua sobre os outros órgãos anexos do tubo digestivo, especialmente o pâncreas. 

Todos estes melhoramentos  são mantidos por longo tempo se você escolher uma dieta não tóxica, sem excesso de carne.

Formas leves de diabetes são tratadas nos hospitais yogues (na Índia) fazendo com que o paciente faça Shank Prakláshana a cada dois dias, durante dois meses e, ao mesmo tempo tenha uma dieta adequada em conjunto com outras técnicas e Pranayamas. 

As glândulas de Langerhans, localizadas no pâncreas, secretam mais insulina sob o efeito revigorante geral desta técnica. A limpeza completa do tubo digestivo também promove uma assimilação correta dos alimentos, fazendo com que as pessoas magras ganhem harmoniosamente peso e as gordas percam peso.

Shank Prakláshana desintoxica o organismo e ajuda a desenvolver uma boa digestão. 

É bom para as alergias, fadiga, cândida, acidez e gás. 

Praticamente recarrega o corpo inteiro, remove bloqueios formados nos canais de acupuntura (nadis) e purifica todos os principais pontos energéticos do corpo (chakras).

Preparação


Aqueça a água salgada até ficar morna, em uma dosagem de uma colher de sopa nivelada de sal cada litro de água. A água tem que ser salgada, caso contrário ela não tinge o cólon e será absorvida (por osmose) passando pela membrana mucosa e será evacuada como urina.

O melhor momento


O melhor momento para realizar a técnica é no início da manhã, com o estômago vazio. Considere que a técnica pode durar mais de uma hora, provavelmente, uns 90 minutos. Durante esse dia e no dia seguinte não execute ásanas, exercícios ou trabalho físico duro.

A execução


Aqui abaixo descrevo todo o processo de limpeza. O conjunto de movimentos necessários que garante o fluxo adequado de água através do tubo digestivo será descrito posteriormente
            Tome um copo d’água salgada morna;
            Logo em seguida, execute um conjunto completo de movimentos;
            Tome outro copo d’água que será seguido por um outro conjunto de movimentos;

Continue alternando a ingestão de um copo de água salgada seguido dos exercícios indicados.

Durante a realização da Shank Prakláshana, devido ao conjunto de movimentos, a água passa imediatamente pelo canal digestivo, sem causar qualquer náusea. 

Continue tomando água e executando os exercícios até tomar 6 copos d’água.

Neste momento você deve ir ao banheiro. 

Se você não for muito constipado, a primeira evacuação acontece quase instantaneamente, as fezes inicialmente são normais e em seguida vão amolecendo até chegar a um estado liquido (de cor amarela).

Se isso não ocorrer imediatamente ou no máximo dentro de 5 minutos, os movimentos devem ser feitos novamente sem qualquer ingestão de água e depois usar o banheiro. 

No caso em que você seja muito constipado e nada acontecer, desencadeie a evacuação por meio de uma  lavagem íntima usando o chuveirinho por exemplo ou  ½ litro d’água, em uma bombinha.

Sarvangásana
Se mesmo assim não conseguir abrir bem o sifão pratique a ásana Sarvangásana por alguns minutos

Uma vez que o sifão for aberto, ou quando as primeiras fezes aparecerem, o resto seguirá automaticamente.

Após a primeira ida ao banheiro, você deve:
            Tomar novamente um copo de água morna salgada;
            Fazer todos os exercícios e voltar ao banheiro.

A alternância de beber água morna salgada, o conjunto de exercícios e a ida ao vaso sanitário vai continuar até que a água saia tão limpa como quando entra no organismo, o que, de acordo com o grau de incrustação do cólon, pode corresponder à ingestão de 10 a 14 copos de água salgada, mais do que isso raramente será necessário.

Quando estiver satisfeito com o resultado você pode simplesmente não fazer mais nada e continuar indo ao banheiro até que o liquido pare de sair ou tomar mais 3 copos d’água morna e realizar uma Vamana dhauti (provocar o vômito) para fechar o sifão deixando o estômago completamente vazio. 

Em geral, os yogues sempre executam uma Vamana dhauti após um Shank Prakláshana.

Causas de uma falha eventual


Após a ingestão de 4 copos d’água quente, se, por exemplo, sente-se que o conteúdo do estômago não passa normalmente para o intestino, provocando uma sensação de sobrecarga e náuseas, isto significa que o pescoço do piloro não foi aberto como deveria. Uma vez que o sifão está aberto, no entanto, não haverá nenhum tipo de dificuldades e podemos continuar a facilitar o processo. É possível que, para algumas pessoas, uma bolha de gás, devido à fermentação, impeça a abertura normal do sifão. Neste caso, é suficiente pressionar firmemente o abdômen com as mãos, fazendo uma massagem abdominal (Sahaj Agnisara Dhauti) ou executar Sarvangásana (a postura da vela), além dos exercícios indicados.
Na pior das hipóteses, quando a água não sai do estômago, poderemos escolher uma das duas soluções:
Realizar Vamana dhauti, ou, em outras palavras, esvaziar o conteúdo do estômago, tocando a base da língua com três dedos para iniciar o reflexo de vômito ou
Esperar que a água seja evacuada normalmente, progressivamente, como urina.
Depois de fazer o exercício é absolutamente necessário descansar e evitar o frio.

Primeira refeição


Depois da execução de Shank Prakláshana devemos absolutamente respeitar as seguintes indicações:
Comer entre meia e uma hora após o exercício; é estritamente proibido deixar o tubo digestivo vazio por mais de uma hora.
A primeira refeição será composta de: arroz branco (não arroz integral ou arroz com a pele que irritam a mucosa do intestino) cozido em água, muito bem cozido de maneira que derreta na boca. O arroz pode ser substituído por trigo, aveia ou algum tipo de massa com queijo ralado, sempre bem cozidos. Pode ser servido com cenouras bem cozidas. Nesta primeira refeição, é necessário ingerir, pelo menos, 40 gramas de manteiga que pode ser derretida sobre o arroz ou consumida diretamente com uma colher

Importante


Sob nenhuma circunstância devemos ingerir leite, yogurte, kefir e outros produtos lácteos durante as 24 horas seguintes assim como são proibidos os alimentos e bebidas ácidas, frutas e verduras cruas.
Pão é permitido somente na segunda refeição após o exercício.
Queijos duros ou semi-duros são permitidos.
Queijo branco e fermentado, brie e camembert são estritamente proibidos. Após 24 horas você pode retornar à dieta normal, embora evitando qualquer excesso de carne.
Bebidas
A absorção de água salgada trará, por osmose, uma parte dos líquidos do corpo para o tubo digestivo. Por isso, é normal sentir uma forte sensação de sede depois de realizar esta técnica. Não devemos consumir qualquer tipo de líquidos, nem mesmo água pura, porque vamos continuar a alimentar o sifão e vamos continuar indo ao banheiro continuamente. Após a primeira refeição, no entanto, nós podemos beber moderadamente água ou infusões leves mas não água com gás. O álcool, que é desaconselhado em dietas normais especialmente para os yogues, é estritamente proibido durante as 24 horas após o exercício.
As evacuações podem não acontecer nas próximas 24 ou 36 horas; Isto não é surpreendente. As fezes serão amarelo-dourado, como as de um bebê pequeno.
Esta técnica deve ser feita pelo menos duas vezes por ano, em climas onde a diferença entre as estações se nota, deve ser realizada nas mudanças das estações. Pode também ser realizada a cada 3-4 meses. Aqueles que têm como objetivo purificar-se muito bem podem realizar esta técnica uma vez por mês. Alguns yogues brahmacharis aconselham executar Shank Prakláshana a cada 15 dias.
Em caso de intolerância ao sal, uma decocção de alho-poró, cenouras ou outros vegetais, ou até mesmo cubos de molho de tomate pode substituir a água salgada. Aqueles que sofrem de constipação podem fazer Shank Prakláshana semanalmente, mas apenas com 6 copos de água. Neste caso, o ciclo dura em média meia hora. Isto é o melhor reeducador do intestino grosso. Shank prakshalana não enfraquece as paredes do cólon.


Contra-indicações


As contra-indicações de Shank Prakláshana não são muitas:
Pessoas que sofrem de grave úlcera de estômago devem abster-se e esperar serem curadas antes de praticar a técnica.
Pessoas que sofrem de doenças agudas do tubo digestivo: disenteria, diarréia, colite aguda, apendicite aguda ou doenças graves como a tuberculose ou câncer intestinal não devem praticar.
Os casos de colite crônica podem ser aliviados se Shank Prakláshana for executada fora dos períodos de crise.
Shank Prakláshana não deve ser praticada durante a gravidez ou a menstruação, se tiver um grande pedra nos rins ou vesícula biliar, rins fracos, diabetes crônicas, hérnia. Estas contra-indicações não são absolutas. Na Índia, há casos de disenterias completamente curadas por Shank Prakláshana em hospitais yogues, mesmo nos casos de pacientes que tinham sido tratados durante meses com métodos clássicos, sem resultados positivos, Shank Prakláshana é muito eficiente como coadjuvante no tratamento de parasitas intestinais. Todo o conteúdo do intestino sendo evacuado, os parasitas e seus ovos também são expulsos.

Anexo Informativo


Nas três semanas de cura de rejuvenescimento total, Kaya Kalpa, Shank Prklásahana é feito todos os dias. Nos três primeiros dias água salgada é usada. O próximo procedimento é feito usando decocção de diferentes vegetais (cebola, alho francês, etc.) para remineralizar o organismo. Algumas ervas também são utilizadas para estimular a purificação total do organismo. Isto constitui um processo mais sério para o sistema digestivo, por conseguinte, uma supervisão cuidadosa e competente é obrigatória.


O Grupo de Movimentos Para Shank Prakláshana
Intodução
Para conduzir a água através do tubo digestivo para a saída é suficiente executar os seguintes movimentos expostos abaixo. Cada ação deve ser repetida 4 vezes em cada lado, alternadamente, a um ritmo suficientemente rápido. A série completa não dura mais do que 2 minutos e meio.

Primeiro movimento



A posição inicial: em pé, mantenha as solas dos seus pés a uma distância aproximada de 30 centímetros afastados um do outro. 

Levante os braços e os endireite, os dedos entrelaçados e as palmas voltadas para cima; a parte traseira é bem esticados, a respiração é normal, à vontade.

Sem torcer o busto, dobre primeiro para a esquerda, em seguida, sem parar na postura final, dobrar para a direita. 
Estes movimentos servem abrir o piloro do estômago e a cada movimento uma parte da água deixa o estômago para o duodeno e o intestino delgado.
Esse duplo movimento será repetido 4 vezes.

Segundo Movimento


Este movimento faz com que a água avance para dentro do intestino delgado. 

A posição de partida é o mesmo: de pé, com as solas distantes. 

O braço direito é esticado na horizontal e o braço esquerdo é dobrado até o dedo indicador e o polegar tocar na clavícula direita. 

Uma rotação do tronco é em seguida realizada, puxando o braço direito para a parte traseira, tanto quanto possível. 

A ponta dos dedos deve ser seguida com os olhos. 

Execute  o movimento para ambos os lado. 

Esse duplo movimento será repetido 4 vezes.



Terceiro Movimento



A água continua a avançar para o intestino delgado e entra no intestino grosso, devido a este movimento que é uma variante da postura cobra (Bhujangasana) realizada, apenas com as palmas das mãos e os dedos dos pés tocando o chão enquanto o queijo toca o ombro.
MUITO IMPORTANTE! As pernas ficam afastadas 30 centímetros uma da outra
Quando a postura é alcançada, nós torcemos a cabeça, os ombros e o tronco até ver o calcanhar oposto (se começarmos a virada para a direita, olhamos para o calcanhar esquerdo). 
Em seguida, sem ficar parado, retorne para a posição inicial e comece de novo no outro lado.
Este duplo movimento deve ser repetido 4 vezes.


Quarto Movimento



A água que chega à extremidade do intestino delgado é conduzida através do cólon pelo quarto movimento, o mais complicado da série, embora seja o mais acessível a qualquer pessoa, exceto para as pessoas que sofrem com os meniscos dos joelhos.

A posição de partida: agachado, os pés afastados devem ser posicionados a 30 centímetros um do outro, no exterior do quadril e não sob as nádegas. 

Os braços são colocados sobre os joelhos, os quais ficam a cerca de 50 centímetros um do outro. 

O tronco se vira e o joelho esquerdo é colocado no chão. 

As palmas das mãos empurram, alternativamente, a panturrilha direita para o lado esquerdo e panturrilha esquerda para a direita, de modo que ela comprima metade do abdômen pressionando o cólon. 

Nós olhamos, tanto quanto possível para a parte traseira, virando a cabeça para acentuar a torção do tronco e para aumentar a pressão sobre o abdômen. 

É absolutamente necessário começar por colocar o joelho esquerdo no chão para compactar primeiro o lado direito do abdômen, pressionando, assim, especialmente o cólon ascendente. 

No caso de o quarto movimento não puder ser executado, a variante de substituição será feita.
Esse duplo movimento será repetido 4 vezes.


Variante Substitutiva



A posição inicial: sentado no chão com as pernas esticadas e  o tronco ereto, apoiado pelos braços esticados. A perna direita é dobrada e colocada sobre a esquerda, ao mesmo tempo coloque a palma da mão direita na sola do pé direito  girando o tronco, tanto quanto possível para a esquerda, olhando para trás. Retorne imediatamente para a posição inicial e, em seguida, execute o movimento no lado oposto, dobrando a perna esquerda sobre a direita. Haverá 4 torções em cada lado.

Síntese


1. Beba um copo de água morna salgada (200 ml), na proporção de uma colher de sopa de sal nivelado por litro.
2. Execute o conjunto completo de movimentos.
3. Beba um segundo copo de água, seguido de todos os exercícios.
4. Continue a fazer o mesmo ingerindo lentamente 6 copos de água salgada quente.
5. Vá ao banheiro e espere por uma primeira evacuação. Se isso não acontecer em 5 a 7 minutos, faça novamente todo o conjunto de exercícios, sem beber mais água mais salgada. Se o resultado ainda não aparecer, execute Sarvangásana ou faça um enema para iniciar os movimentos internos do intestino e abrir o sifão.
6. Beber um copo de água, fazer os exercícios, ir ao banheiro.
7. Continue a absorção de água, exercícios e toilette até que esteja satisfeito com o resultado. Os yogues tenazes continuarão a limpeza até a água sair tão limpa quanto quando ela entra.
8. Para finalizar, elimine toda a água do estômago, fazendo Vamana dhauti (vômitos). Vamana dhauti esvazia o estômago, descongestiona o fígado, a vesícula biliar, o baço e pára o sifão.
9. Aguardar pelo menos meia hora antes da primeira refeição, mas em nenhum caso, espere mais de uma hora após ter terminado a técnica de limpeza, para alimentar o tubo digestivo.
10. Resista firmemente a sensação de sede, pelo menos até depois da primeira refeição, caso contrário você pode continuar indo ao banheiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao