Pesquisar este blog

sábado, 4 de março de 2017

As causas das doenças e suas curas

Como a Alimentação Pode Curar



As doenças são o resultado do abaixamento do nível das freqüências das vibrações, sejam elas no corpo inteiro ou em alguma parte dele, excetuando-se as lesões traumáticas.

As doenças se manifestam em duas modalidades. 
Sempre dependendo do abaixamento da freqüência das vibrações.

Um órgão pode apresentar distúrbios sem a intervenção de agentes externos, ou pode perder seu magnetismo desvitalizando-se e permitindo que átomos estranhos à ele penetrem em seu interior, agredindo-o, como pode fazer por exemplo o câncer.

A essência do sistema hatha yoga é a conservação inalterada do equilíbrio bioelétrico das energias sutis solares (HA) e lunares (THA). Este sistema milenar se baseia no princípio segundo o qual a base do bem estar psíquico físico do indivíduo é o equilíbrio entre as energias positivas e negativas, solares e lunares. Assim também se fundamenta a nutrição holística.

Ao longo dos séculos outras filosofias, escolas, ciências e as diferentes religiões vêm atestando essa mesma verdade, muitas vezes usando palavras diferentes, mas sempre defendendo o mesmo princípio.

A filosofia yógica demonstra que todas as doenças têm suas raízes na ignorância, ou seja, do fato que normalmente o ser humano não conhece a natureza das doenças.

Por causa da ignorância, o ser humano vive mediocremente e não sabe controlar os átomos que compõem o seu corpo, nem as energias que os mantêm agregados. 

Em 95% dos casos as doenças se manifestam quando o indivíduo apresenta um estado negativo. 



A estrutura mental, invés de dominar os elementos físicos, se relaxa e perde sua força fazendo com que o corpo siga este impulso. 
Assim as moléculas se separam em modo anômalo deixando a passagem livre para elementos estranhos atacarem o organismo e fazendo com que as doenças se instalem.

Algumas doenças assim como a senilidade podem ser relacionadas diretamente a condições mentais como a incapacidade de controlar tendências negativas como a ira, a inveja, o rancor, os ciúmes, o ódio, o pessimismo e o medo.

Por exemplo, a ira provoca a liberação de uma toxina que age sobre todos os órgãos provocando efeitos funestos, especialmente no fígado e no sistema nervoso.

O ódio intoxica consideravelmente o organismo e os seus efeitos se repercutem na digestão e aumenta a pressão sangüínea.

O rancor gera e mantém os reumatismos. 

A avidez e a rapacidade predispõem a doenças do coração. 

A instabilidade predispõe o indivíduo a hemicranias, paralisias, diabetes e taquicardias. 

O pessimismo faz com que a pessoa se contraia e se estresse invés de florir, esfria as relações humanas, torna as relações sociais difíceis, gera impotência sexual e frigidez, complica as situações mais banais e nunca constitui uma vantagem para o sucesso em geral.

Muitas doenças podem ser conectadas ao  medo. 

Quando a mente fica perturbada pelo medo, ela provoca uma distribuição sangüínea desregrada no corpo que, com o tempo enfraquece o coração, que passa a funcionar com uma freqüência anormal fazendo com que vários órgãos do corpo sejam afetados. 
Muitas febres são resultantes de medos, assim, a primeira coisa que devemos fazer para ter uma boa saúde é eliminar o medo.

O professor Elmer R. Gates descobriu que inumeráveis ácidos que circulam no sangue são produzidos pela ação direta da mente quando ela se deixa envolver em estados negativos.

As vezes, a relação entre o estado mental e as doenças é pouco evidente porque pode acontecer que os sintomas da doença apareçam muito depois que as reações mentais desaparecerem.

A ciência yógica afirma que as doenças consideradas hereditárias são provocadas, entre outras coisas, por condições mentais originadas em outras encarnações, que determinam a escolha do indivíduo de nascer em um corpo doente, em uma família de pessoas com karmas similares. Nestes casos somente uma prática espiritual constante pode erradicar as causas das doenças mas em todos os outros casos o Reiki e a alimentação holística podem curar com sucesso.

Doenças reais e imaginárias


As doenças imaginárias são constituídas por imagens mantidas por muito tempo no campo da consciência. 

Elas são incoerentes com as leis naturais da anatomia e fisiologia e por isso são mais difíceis de curar. 
O fato de serem ancoradas na mente faz com que criem ressonâncias negativas e profundamente perturbadoras e para serem curadas é necessário que o paciente faça uma inteira revisão de seu modo de pensar, que pode ser aberrante ou obsessivo.

Elas se desenvolvem à partir de uma idéia fixa e se tornam reais com o  tempo. 

Por exemplo, uma banal indigestão ou aerofagia pode causar uma dor na região do peito que a pessoa a confunde com um problema cardíaco. Esta imagem, se permanecer na mente por um longo período, se degenera em um medo exacerbado que por sua vez provoca o aparecimento da doença.

A sabedoria yógica milenar diz que atraímos justamente os acontecimentos dos quais temos medo. Neste caso, o medo persistente de uma doença acaba por atrair a doença em si.

Se trata de um fenômeno que reflete a força da mente nos acontecimentos em nossa vida diária. Se nos concentrarmos com firmeza em uma idéia, sentimento ou estado de espírito, dando-lhes força por meio da nossa convicção, podemos fazer com que se realizem. 

É o modo pelo qual a fé se explica.

Os estudos do Dr. Jean-Martin Charcot, um neurologista francês do século XIX, considerado o pai da neurologia moderna, demonstram o poder da auto-sugestão.

A segunda categoria de doenças é a que inclui as doenças reais, ou as doenças geradas pelas sugestões mentais, em seu estado de manifestação física.

No sistema yoga, curar naturalmente uma doença significa restabelecer a freqüência específica das vibrações da parte ou do plano influenciado para normalizar plenamente as condições de funcionamento dos órgãos, dos plexos nervosos e dos tecidos danificados. Isso inclui a prática de pranayamas e ásanas para harmonizar e purificar o corpo, a alimentação holística, a repetição de mantras e a meditação entre outras práticas.

Métodos terapêuticos naturais segundo a yoga


O método yógico para realizar a cura consiste em:
  1. Dinamização dos chakras que controlam o plano, o órgão ou a parte interessada, 
  2. Intervenção cirúrgica, no caso de uma lesão nos tecidos ou ruptura de um osso ou mais ossos e, mais comumente, 
  3. Na utilização da fitoterapia, o uso de plantas em chás, decotos ou cápsulas cujas matérias primas são plantas não modificadas em laboratórios.
  4. A alimentação holística.

Nós, os adeptos da yoga, não cremos nas virtudes dos compostos farmacêuticos. Consideramos que tais venenos nunca deveriam ser ingeridos sob qualquer pretexto. Uma exceção a esta regra é dada pelas preparações ayurvédicas, elaboradas segundo os princípios da sabedoria prática.

As drogas em comércio nas farmácias modernas são profundamente tóxicas, como explicitado em suas bulas, podendo estimular temporariamente o paciente mas suas vibrações são tão baixas que inevitavelmente pioram o quadro de saúde geral do paciente.

Elas desestabilizam o equilíbrio do indivíduo e provocam efeitos secundários consistentes, em alguns casos até mesmo mortais sem eliminar as causas da doença. 

Como foi dito anteriormente, as causas das doenças têm suas origens em desequilíbrios energéticos causados por emoções e atitudes negativas, sejam elas causadas por karma pessoal ou familiar, por instabilidade emocional ou pelo ambiente em que a pessoa vive.

As drogas fabricadas pelos modernos laboratórios podem criar a ilusão de uma melhora momentânea, coadjuvada pela atitude mental do paciente, como comprovado do efeito placebo de algumas, o que comprova ulteriormente a ciência milenar yógica que a cura é realizada com a mente, em última análise. 

Entretando, se analisada em um quadro geral, notamos que a doença reaparece depois de alguns dias sob forma diferente e sintomas diferentes. A prova disso é que quando uma pessoa começa a tomar remédios de farmácia ela nunca mais se sentirá completamente sã, a menos que tenha uma fortíssima atitude mental para derrotar a doença em sua origem, e a coragem de abandonar todos os remédios.

Atualmente existem muitos métodos naturais para tratar as várias doenças e condições que podem assolar o ser humano. 

Entre elas posso destacar : 
  • A aplicação do Reiki. A cura pela imposição das mãos;
  • A manipulação física e energética chamada osteopatia, um método que utiliza  a terapia manual para detectar e tratar áreas afetadas do corpo. Através de técnicas de mobilizações e manipulações, ela age sobre as várias estruturas do corpo, como músculos, ligamentos, nervos, articulações e órgãos;
  • A eletroterapia. Ela visa produzir algum efeito no tecido a ser tratado provocando nos mesmos reações físicas, biológicas e fisiológicas;
  • A ayurveda induz a transpiração e prescreve tratamentos baseados em vapor como um meio para abrir os canais e diluir as doshas, para desbloquear as energias e eliminar as doenças.
  • A corrente elétrica como expressão sutil de uma das forças escondidas da natureza, é uma parte da corrente cósmica sutil de cor azul. Se usada integralmente pode alçar a freqüência de vibração de um órgão doente, restabelecendo assim suas condições normais. O inconveniente é que este método é usado sem a ajuda mental e por isso apenas reprime boa parte dos sintomas sem eliminar as causas da doença.

Entretanto nenhum desses métodos tem o objetivo de individuar as causas das doenças. 

O reino vegetal nos oferece inúmeros remédios extraordinários, muitos dos quais são ainda secretos. 
Infelizmente porém a terapêutica moderna não os admite pois não considera a realidade relativa às diversas freqüências de vibrações dos órgãos influenciados e dos pacientes que devem ser tratados em modo específico, recorrendo a diferentes plantas medicinais.

O mundo moderno ocidental abandonou, em grande medida, os ensinamentos milenares orientais e escolheu uma via experimental nos diversos campos da medicina, da filosofia, das artes, da música e assim fazendo, retornou milênios na jornada da evolução, descartando resultados comprovados por milhões de pessoas em épocas antigas para experimentar algo novo, baseando-se na idéia que pode fazer melhor.

Sem dúvida alguma o processo de evolução do homem passa através da curiosidade e das tentativas de muitos sábios que indagam a natureza do Universo. Todavia não podem descartar formas de conhecimentos colaudadas por milhares de anos de prática em nome de uma intuição não comprovada e que tem se demonstrado falimentar no que tange seu objetivo primário: melhorar a saúde e as condições do indivíduo enquanto aumenta sua qualidade e a quantidade de anos vividos no corpo físico.

Hoje em dia a cultura milenar, espiritual, interiorizada, libertadora, expansiva e harmonizante dos povos orientais e a moderna cultura consumista, superficial, egoística, enganadora, ilusória do ocidente caminham lado a lado. 

Mas este é também um momento na história conhecida do homem em que os povos estão ampliando coletivamente seus horizontes, graças, seja à entrada da terra na era de Aquarius, seja do avançamento do sistema solar no Dwapara Yuga, momento em que a humanidade sai do seu período mais obscuro, tenebroso de ignorância, que teve seu apogeu em meados da Idade Média e que durará 2400 anos até chegar ao seu apogeu.

Após um período de grande euforia, os povos ocidentais estão finalmente compreendendo que muitas escolhas de nossos recentes antepassados foram erradas e estão contribuindo para o desequilíbrio do planeta e comprometendo o perpetuar-se da espécie humana. 

Cada dia mais pessoas se voltam para dentro de si em busca da verdade perdida nas ilusões do consumismo, da retórica, alimentados pela grande mídia patrocinada pelos fortes poderes econômicos mundiais, especialmente os ocidentais.
Os mais iluminados começam e intuir em seus corações verdades que eram improváveis até poucos anos atrás. 

Isto ocorre graças a uma mais alta vibração de nosso planta, em virtude de sua aproximação ao centro da Via Láctea, assim como preconizou o grande Swami Sri Yukteswar em seu livro A Ciência Sagrada, de 1895.

Em pouco tempo o mundo como o conhecemos hoje não existirá mais. 


A humanidade, assim como apenas poucos anos atrás não podia nem mesmo imaginar os avanços tecnológicos disponíveis atualmente, assim também daqui a 10 anos a nossa concepção da realidade última do universo será profundamente transformada.

A maioria que hoje vive nas trevas da ignorância serão capazes de entender boa parte do funcionamento do Universo, das leis que regem a vida na terra, serão capazes de identificar mentiras e manipulações que hoje lhes parecem verdades cristalinas.

Neste quadro evolutivo a terapêutica moderna se tornará totalmente obsoleta pois a realidade como estamos habituados a ver será profundamente transformada em virtude das novas capacidades de compreensão da humanidade. 

O homem  se conscientizará que a matéria é, como nós yogues afirmamos ha milênios, apenas uma manifestação de energia. Coisa já comprovada pela moderna física quântica mas, que vem sendo mantida sob relativo segredo por aqueles que não têm interesse nessa evolução súbita da espécie humana.

Em um mundo esclarecido em que o homem começa a compreender sua real natureza divina, uma forma experimental de terapêutica que mata mais do que cura não ha espaço. Assim como as monoculturas que matam, o consumo exagerado de carne, os vários venenos que ingerimos junto com os alimentos, os alimentos mortos, processados.

Naturalmente tudo isso é já possível nos dias de hoje, como sempre foi para seres mais iluminados. 

Muitos recebemos estes esclarecimentos através da meditação que nos conecta diretamente com o Infinito. 

Mesmo aqueles que lêem livros de auto-ajuda, técnicas de vendas e de como conseguir sucesso em suas carreiras, conhecem a força do pensamento, das palavras, da justa atitude e assim por diante. Muitos conseguem resultados extraordinários em suas vidas apenas pondo em prática o pensamento positivo. Obviamente você que conseguiu ler este artigo até aqui também esta no caminho certo.

As grandes religiões desde sempre focaram a máxima atenção no desenvolvimento da fé, usando palavras diferentes dependendo do período histórico em que nasceram. Na yoga sabemos que a fé nada mais é do que o exercício do poder da mente, sabemos que somos um com o Divino e que tudo é possível àquele que crê. Não a caso, Jesus também afirmou esta verdade.

No futuro, a força ilimitada da consciência, através da ressonância com as forças sutis do Universo, será a única força utilizada pelo homem para manter seu corpo em um estado harmonioso, saudável, jovem e longevo. 

Todavia temos que nos preparar para chegar vivos a esse nível de evolução, saudáveis e com a mente lúcida. 

Para isso devemos regular e vitalizar nosso organismo com dietas adequadas, com a prática de ásanas, com os pranayamas, vivendo uma vida mais lenta, relaxada, em contato com a natureza e sobretudo meditando quotidianamente. 

É óbvio que o ser humano precisa ser considerado integralmente para que possa se curar com o poder da mente. Enquanto ele se iludir que o corpo é uma coisa e a alma é outra ele jamais vai poder se curar realmente. 

O Corpo físico é apenas um reflexo da realidade da alma e muitas vezes, a terapia mental e magnética, que representa o reequilíbrio dos fluidos orgânicos dos corpos etérico e vital, pode curar até mesmo uma doença cuja causa é puramente material ou traumática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao