Pesquisar este blog

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Os Efeitos do álcool no Organismo

Alguns Cuidados Essenciais Ao Beber

Hoje começa a grande maratona de festas, desfiles, saídas com bloques de carnaval e muitas outras festas. Tudo isto será regado com muito álcool e em muitos casos, serão também acompanhados por muitas drogas, lícitas e ilícitas.

O assunto é bastante sério e apesar do clima festivo, te peço que invista 5 minutos do seu tempo para ler este artigo.

Quando se fala em dependência química, a preocupação maior é com as drogas ilícitas, cocaína, maconha, crack, ecstasy, entre tantas outras. No entanto, o grande inimigo está camuflado sob o manto do socialmente aceitável. 

O álcool nem sequer é considerado uma droga que causa dependência física e psicológica por grande parte da sociedade. Sua venda é livre e ele integra a cultura atual ligada ao lazer e à sociabilidade. Uma reunião em casa de amigos, o happy hour depois de um dia estafante, a balada de sábado à noite, a paradinha no bar na saída do escritório não têm sentido sem a bebida alcoólica. Por não falar dos longos bailes de carnaval.

O efeito relaxante das doses iniciais, porém, desaparece com o aumento do consumo. Se o convívio com uma pessoa embriagada incomoda, isso não é nada diante dos males que o álcool pode causar e que não se restringem às doenças do fígado. A labilidade emocional que num instante transforma o alcoolista risonho num indivíduo violento é responsável não só pelo aumento de brigas de bar, da criminalidade, mas também pela desestruturação de muitas famílias.

Beber com moderação é possível, mas raros são os que reconhecem estar fazendo uso abusivo e nocivo do álcool.  Não se pode esquecer de que a grande maioria dos acidentes de trânsito ocorre quando está no volante uma pessoa alcoolizada.

O álcool é absorvido rapidamente pelo estômago e duodeno e, em instantes, cai na circulação sanguínea. 

Na primeira passagem pelo fígado, começa a ser parcialmente metabolizado, ou seja, o organismo procura formas para livrar-se dele, destruindo suas moléculas e expelindo pequena porcentagem delas pela urina, suor, hálito, etc. O que sobra desse metabolismo inicial vai exercer sua ação em todo o organismo, pois são necessárias várias passagens pelo fígado para que ele seja destruído completamente.

Leva mais ou menos uma hora para o fígado metabolizar um copo de cerveja e não há nada que se possa fazer para acelerar esse processo. Então, se a pessoa tomou dez copos de cerveja, vai ficar com álcool no sangue por pelo menos dez horas. As pessoas perguntam se glicose ou café forte, por exemplo, ajudam a eliminar o álcool mais depressa. Isso não acontece sob hipótese alguma.

Ter conhecimento dessas características do metabolismo do álcool é muito importante para estabelecer um parâmetro em relação ao beber e dirigir. 

Quem bebeu um copo de chope ou de vinho deve esperar pelo menos uma hora para poder dirigir um automóvel com mais segurança.

Ninguém faz isso e todos pagamos alto preço por esse descaso. O número de mortes de jovens relacionadas ao beber e dirigir é muito grande. Os dados são assustadores. 

Cerca de 50 mil brasileiros morrem por ano nesse tipo de acidente.

Se você quiser beber, é sempre melhor que o faça depois de uma refeição, porque não só a absorção do álcool será menor como será menor sua vontade de beber.

Lembre-se também que o excesso de álcool pode causar uma intoxicação aguda.


Esse fenômeno se chama black-out ou apagamento. Parece que o álcool inunda algumas áreas do cérebro e produz esse efeito. 
Esse é um momento bastante perigoso na vida dessas pessoas, porque ocorreu um dano cerebral agudo que as expõe a grandes riscos. 
Dirigir automóvel intoxicada dessa forma, por exemplo, aumenta enormemente a probabilidade de acidentes graves, porque os reflexos são toscos e as reações lentificadas.

Bom carnaval a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao