Pesquisar este blog

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Recomendações Especiais Para Aspirantes Avançados Na Prática YOGA

Disciplina, Equilíbrio, Devoção, Sinceridade e Amor estão entre outras qualidades que se espera desenvolver através da prática Yoga. 


Além de uma incessante busca pela verdade.


Nunca devemos ser indulgentes com a mente. Se a um certo ponto, um dia a permitirmos uma determinada estravagância, no dia seguinte ela nos pedirá seguramente duas ou três extravagâncias.
As extravagâncias para as quais a mente nos empurra crescerão quotidianamente.
Nos transformarão gradualmente em seres humanos excêntricos e mimados. “A criança não educada em tempo se transforma em um incapaz, mimado e orgulhoso”. Este preceito folcloristico romeno se aplica também à mente.
As vezes a mente é mais inquieta e indisciplinada do que uma criança.
Destacada e lucidamente devemos puní-la com o jejum e Laya Yoga para cada grave erro que ela cometer.
O famoso Karma Yoga Mahatma Gandhi agia sempre assim. Se transformou em um ser muito puro e firmamenrte focalizado mentalmente. Ele purificou sua vontade, fazendo-a forte e irresistivel, pondo-a em uníssono com as energias superiores, divinas da vontade Macrocósmica.
Devemos manter os órgãos de sentidos muito interiorizados e nos seus devidos lugares. Não é bem permití-los de se localizar e manifestar-se contra a nossa vontade nem por um segundo.
Através da prática perseverante do sistema yoga podemos obter uma mente extraordinariamente forte e muito concentrada.
Se observamos a nós mesmos e seguirmos com atenção e destaque os nossos defeitos, se formos suficientemente sinceros com nós mesmos e se aspirarmos com todo o nosso ser a substituí-los com as virtudes opostas, eles desaparecerão cedo ou tarde em modo diretamente proporcional aos nossos esforços.
Agindo sempre assim distruiremos as impurezas e os vícios presentes em nós, um a cada vez, pouco a pouco e a um certo ponto nós notaremos claramente de ser completamente puros interiormente.
Devemos beber água morna, salgada e mandá-la no estômago e intestino com a ajuda de determinados movimentos até sair pelo ânus, imediatamente, como em clismas. Esta prática no Hatha yoga se chama SHANK PRAKLASHANA KRIYA.
Um grande yogue, BRAHMACHARI SAMBHUNATH di KISHKINDHA (INDIA) realizava sempre essa técnica de purificação.
Para realizar o VAMANA DHAUTI KRIYA bebemos uma determinada quantidade de água. A mantemos por 5-7 minutos no estômago e  em seguida a eliminamos através do vômito provocado. Este é um método natural  e eficaz de limpeza e relaxamento do estômago. Todas os materiais em decomposição que ficam fermentando no estômago serão rapidamente eliminados. Não teremos mais doenças no estômago.

Kundalini

Muitos yogues superficiais e impacientes não querem eliminar lentamente as impurezas através de ações das quais os frutos são oferecidos a Deus e transcender as aparências ilusórias através da adoração a Deus.
Eles querem acordar diretamente Kundalini e amplificar pensamentos muito fortes e elevados de introspecção em que somos espontaneamente empenhados a viver uma intensa comunhão com Deus e fazer aparecer em nosso ser os estados de consciência divina cósmica.
Esta experiência espiritual acontece frequentemente através da ascensão de kundalini até Sahasrara e a sua estadia neste chacra  o mais longamente possível.
Procendendo dessa forma, por causa do egoísmo restante, esses yogues estagnarão em vez de progredir. Para progredir, devemos nos tornar úteis e adorar a Deus. É importante descobrir a consciência da essência divina, a realização (descoberta, conhecimento) do Sí Supremo. 
A consciência iluminante e a libertação espiritual aparecerão espontaneamente. Então a kundalini acordarâ por si só e restará horas e horas em Sahasrara revelando o estado de Samadhi.
Um yogue com a mente dispersiva pode ficar 12 horas consecutivas imóvel em uma asana e se não se concentrar muito bem, apesar de tudo, pode restar prisioneiro de alguns desejos inferiores. Sem uma concentração e transfiguração adequadas a asana é apenas um exercício físico, uma majestosa acrobacia ou um espetáculo de circo.
Um yogue desatento pode, sem fechjar os olhos, sem piscar e até mesmo sem mover os olhos, praticar só na aparência trataka por 3 horas e, apesar de tudo, ser influenciado por algumas sugestões inferiores e pelo egoísmo. Este também, quando falta a capacidade de concentração mental, é apenas outro exercício físico com reduzidos efeitos mentais e espirituais.
Esta aparência enganadora nada tem a ver com a espiritualidade. Os homens incapazes de perceber a nível sutil, em modo objetivo, ficam inibidos quando vêem yogues medíocres realizarem técnicas como essas descritas.
O jejum, mantendo um constante estado de aspiração para com Deus, é uma modalidade para purificar e treinar o corpo físico para a evolução espiritual.
Devemos fazer brotar e crescer a semente da espiritualidade quando somos jovens. Não é benéfico (sobretudo para os homens) disperder o sêmen. Precisamos também disciplinar os nossos sentidos e a mente.  O treinamento espiritual, ou Sadhana, deve ser realizado com a máxima concentração.
A purificação nos ajuda muito.
A meditação deve ser profunda.
Procuremos ser úteis àqueles que merecem e amá-los o máximo possível.
Procuremos ser corteses e práticos.
Quando envelhecermos seremos, graças aos progressos espirituais feitos na juventude, libertados da ânsia e do medo da morte.
Na velhice é difícil fazer um treinamento espiritual enérgico. Por essa razão devemos ser o mais fervorosos e entusiastas do ponto de vista espiritual enquanto jovens.
Não devemos pensar às obrigações terrenas mais do que o necessário para cumprir com destaque o nosso dever. Logo, devemos cumprir corretamente o nosso dever e consagrar todo o tempo e energia que nos sobra ao conhecimento de Deus.
Assim muito rapidamente vamos notar os vários benefícios físicos, mentais, psiquicos e espirituais que obteremos através das várias técnicas e procedimentos yógicos realizados em modo constante.
A prática das asanas antes de começar a Laya yoga e a meditação é muito válida porque nos ajuda a obter resultados excelentes em pouco tempo. Ela distancia ao mesmo tempo o cansaço e a inércia do corpo e da mentte, ajuda a focalizar melhor e enche a mente com um grande vigor dispensador de paz.
A realização perseverante, com uma adequada transfiguração e um firme foco mental de Nauli, UDDIYANA BANDHA, e SHIRSHASANA pode nos ajudar extraordinariamente a atingir o estado de libertação espiritual. Estas técnicas yogicas são ao mesmo tempo meios importantes para reaver e manter a nossa saúde e vitalidade.
Por causa da ignorância e da superficialidade, muitos consideram erroneamente que o yoga seja útil apenas para curar algumas doenças e a nos manter em perfeita saúde.
Um verdadeiro yogue nunca faz da manutenção de um perfeito estado de saúde o objetivo útltimo de sua prática. O seu objetivo final é o completo autoconhecimento, a realização (descoberta) de seu ser imortal. Por isso é importante purificar nossa mente com os pranayamas, chegar a concentrar a nossa mente por longos períodos de tempo aperfeiçoando a execução de SHAMBHAVI MUDRA e conseguir meditar profundamente sem interrupções.
Notemos sempre mais claramente que temos em nosso microcosmo interior tudo o que precisamos para atingir o estado de libertação e sabedoria.  Nos convencendo profundamente desta realidade podemos nos tornar grandes yogues empenhados em praticar JnanaYoga,  a yoga da sabedoria que implica uma constante pratica de discriminação da realidade da irrealidade, do Si eterno do não Si.
Para progredir constantemente na prática da yoga devemos ser perseverantes no nosso treinamento, procurar desenvolver os aspectos benéficos dos quais somos deficitários e ter plena confiança nas etapas elevadas da evolução, evocar e visualizar o que queremos e nos formar através das nossas descobertas sobre as etapas em que nos encontramos.
Se um aspirante yogue quiser realmente ter sucesso nesta via deve renunciar definitivamente aos jogos de azar, ao tabaco, ao café, ao álcool, á carne, ao sono excessivo, à preguiça, ao medo. Às discussões inúteis, às fofocas, à raiva à indolência e ao reinvios.
Para poder progredir na prática espiritual devemos realizar (tanto como exercício de melhoramento da vontade quanto como modalidade de interiorização) periodicamente  o MAUNA –voto firme de silêncio- por 24 horas consecutivas. O Mauna deve ser realizado periodicamente, indiferentemente do nosso ano de estudo no curso de yoga porque nos ajuda nos tornar objetivos e a nos conhecer melhor.
É tembém necessário praticar constantemente a moderação na alimentação, nas bebidas, no sono e nas técnicas yoga, cuja duração será gradualmente aumentada para evitar choques.
O equilibrio na yoga é ao mesmo tempo a coisa melhor e a mais segura. Procedendo assim, nos tornaremos em pouco tempo verdadeiros yogues, um exemplo para os outros.
O Sadachacra (o comportamento e a sublime atitude interior transfiguradora, pura ) , a Sadvichara  (a justa pesquisa, a análise e a interrogação interior sobre a verdade última, divina), o Satsang (a justa procura da presença, das discussões inspiradas espiritualmente e da companhia de pessoas muito evoluídas espiritualmente) são necessários em qualidade de catalizadores psíquicos e mentais durante o contato com as diversas etapas do sistema yoga.

Alimentação


  • Abandonando o hábito tirânico que nos faz preferir somente alimentos ácidos, amargos e excessivamente salgados;
  • saboreando com alegria leite, derivados naturais do leite, legumes, frutas e hortaliças frescas, mel, pólen,
  • e tomando consciência do sutíl RASA (termo sânscrito que se traduz em alegria sublime, paixão estática. Experiência intensa de uma felicidade sobrenatural que resulta após um estado de fusão comunhão estática com as energias Divinas. Este estado extremamente elevado não pode ser comparado se não em pequena medida à alegria que sentimos quando satisfazemos os sentidos e escapa de qualquer tentativa de descrevê-la racionalmente. Este estado pode ser atingido após a completa sublimação das energias inferiores quando, como conseqüência da transmutação do potencial físico, estas energias sublimadas gradualmente são canalizadas nas esferas mais elevadas do ser, em Sahashrara);
  • praticando a abstinência ou a continência (praticando a transmutação do potencial sexual e a sublimação das energias resultantes);
  • comendo moderadamente (em modo de ficar cheios de vitalidade e harmoniosos fisicamente – nem magros nem gordos;
  • e ficando firmemente concentrados durante o tempo que consagramos às técnicas de yoga para tomar consciência profundamente e completamente dos fenômenos complexos e inefáveis de ressonância que aparecem naquele momento,
cada yogue se transformará em um Siddha (ser humano que atingiu a perfeição em algumas técnicas ou etapas da yoga em menos de dois anos e que é certamente dotado de determinantes poderes paranormais).
 O alimento prevalentemente SATTVICO é preferível quando praticamos intensamente e com perseverança as asanas e os pranayamas. Nesta situação é necessário consumir leite, ghee ( manteiga de leite clarificada feita em casa naturalmente), leite batido (yogurte líquido), kefir, yogurte, pólen, mel, grãos, arroz, batatas, feijão, fruta fresca, nozes, amêndoas, fungos, chantilly.
Quem quiser acelerar o seu progresso espiritual através da yoga deve renunciar definitivamente à carne, peixe, tabaco, álcool, café, temperos muito picantes e acres. Deve também evitar de sobrecarregar o estômago (um yogue deve evitar de comer excessivamente durante uma refeição – um quarto do estômago deve permanecer vazio no final da refeição).  Possivelmente devemos ser pontuais na hora das refeições. Comer qualquer tipo de alimento, só pelo prazer, não importa qual, é perigoso para um yogue.
Devemos comer somente alimentos frescos, selecionados acuradamente, segundo as nossas necessidades. O açúcar em todas as suas formas é nocivo, deve ser evitado e substituído por mel.
Enquanto comemos devemos estar atentos e reconhecer um estado de transfiguração interior ligado a este ato que fulmineamente nos põe simultaneamente em ressonância com determinadas energias sutís do Macrocosmo.
Tudo o que introduzimos na boca produz instantaneamente um inefável fenômeno que nos põe em uníssono  e em comunhão com algumas formas de Prana (energia) específicas daquele alimento ou substância.
Este é um grande segredo que os yogues conhecem há milhares de anos.
Exemplo: Se comermos em modo muito consciente e transfigurante arroz cozido podemos entrar em ressonância com as energias sutis yang (+)  do Macrocosmo que são sempre vinculadas ao arroz. Os efeitos da ampliação de nossas energias interiores yang (+) graças ao fenômeno de ressonância realizado naquele momento, serão claramente percebidas em seguida.
A energia prânica assimilada através desta tomada de consciência é gigantesca. A língua e em geral o sentido do paladar são estreitamente ligados ao chacra SWADISTANA . O controle permanente da língua quando comemos, significa um controle constante da mente. Um yogue nunca deixa a língua ir de cá pra lá enquanto come.

Sexualidade

A prática perseverante da continência sexual não só é necessária mas é também extremamente benéfica para a harmonia global do ser. Os seus efeitos são evidentes do ponto de vista vital, psíquico, mental e espiritual. A transmutação do potencial sexual em energia deve ser sempre acompanhada pela sublimação das energias sutís resultantes em energias extremamente refinadas.
As energias resultantes da transmutação sexual devem ser harmoniosamente sublimadas (elevadas) ao nível de todos os centros de força (chacras) que sentimos estarem carentes.
Deixar as energias resultantes através da transmutação sexual acumular apenas no nível de Svadisthana é um grave erro. Paralelamente a este complacimento atrai junto com uma grande vitalidade também uma amplificação dos estados de caduquês, dispersividade, confusão e extordimento. A sublimação harmoniosa em todos os centros sutís de força, incluindo Sahashrara faz desaparecer todos os fenômenos.

Brahmacharya

A contingência sexual é muito importante para a aceleração da nossa evolução interior. No casal, através da transmutação biológica do nosso potencial sexual, temos facilmente, em modo prazeiroso, acesso a uma energia gigantesca que pode ser ulteriormente sublimada no Microcosmo do nosso ser,  gerando rapidamente efeitos benéficos extraordinários. Ao mesmo tempo, através da contingência sexual, um casal em  que existam amor e apreciamento recíproco,  pode atingir estados de felicidade total e os dois amantes podem se estimular reciprocamente e se ajudar melhor naquele momento.
Quando, graças à continência sexual e à sublimação harmoniosa da energia amorosa resultante, o amor é infinito, o impossível se torna facilmente possível. A sublimação aos níveis superiores do ser da energia amorosa resultante da transmutação sexual, faz desaparecer  os ciúmes, a possessividade e o egoísmo. A sublimação prevalente da energia amorosa, resultante da transmutação biológica durante a fusão sexual ao centro essencial de força, Sahashrara, permite a fusão com Deus e ao mesmo tempo nos revela o Si Supremo.
No amor, o yogue procura proporcionar ao ser amado um estado de felicidade total.

A maior felicidade do yogue no amor é tornar o ser amado o mais feliz possível.

Por ser sempre amado, o yogue ama intensamente antecipadamente o ser amado; o yogue autêntico ama intensamente e de modo destacado mesmo quando não é correspondido.
Ele ama incondicionalmente.
Amar somente a pessoa que nos ama é uma troca insignificante. Quando o amor é recíproco o yogue amplifica espontaneamente o seu amor pelo ser que o ama. O yogue sabe que o seu amor intenso atrai sempre espontaneamente o amor dos seres humanos que vibram ao uníssono com ele.
O yogue é sempre perfeitamente convinto que amando intensamente será cedo ou tarde amado e descobre que quando ele é muito feliz fará de conseqüência felizes todos aqueles que se encontram a sua volta (os quais apresentam afinidades com seus estados maravilhosos). A sua transbordante felicidade e o seu amor intenso farão em modo que através dele se manifestem a infinita felicidade cósmica (Ananda) e o amor divino (Prema).

Este texto é um resumo de algumas lições do curso de Yoga oferecido pela Escola Samadhi que tem filiais em várias cidades italianas e é presidida pelo grande Virgil Calin, o qual é o autor do texto original em italiano. Por se tratar de ensinamentos universais de como um aspirante yogue deve comportar-se, tomei a liberdade de traduzir e publicar este pequeno trabalho no meu blog com o intuito de ajudar os sinceros pesquisadores da verdade em meu país e naqueles de língua portuguesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao