Pesquisar este blog

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A religião é apenas um pretexto. O único Deus verdadeiro é o dinheiro.


Nestes dias a TV, o rádio, a internet e os jornais nos têm inundado de notícias. Um tsunami de informações sobre os locais dos ataques, as armas utilizadas pelos terroristas, sobre as declarações dos políticos e as pobres vidas extintas naquela noite em Paris. Uma enorme onda de imagens e palavras que comoveram, mas também despertaram raiva. No entanto, neste oceano de informações que pouco a pouco vai recuando, não há um pingo de consciência sobre a causa dos ataques.

Nenhuma reflexão séria se fez para tentar compreender as verdadeiras razões que levaram os meninos com pouco mais de vinte anos a enlouquecer-se ao ponto de  assassinar seus coetâneos e se auto explodirem. As transmissões de TV nesses dias, com irritante paternalismo nos tratam como crianças que não podem saber tudo e sobretudo não devem questionar o que realmente aconteceu. Nenhuma  reflexão foi feita para compreender as razões dos outros (dos Sírios) nem mesmo sobre o vídeo feito postumamente por Coulibaly, um dos autores do primeiro ataque em Paris que dizia: "Vocês não podem atacar e  esperar que não hajam represálias por parte das vítimas (...) vocês bombardeiam e matam civis e combatentes, por quê? São vocês que decidem o que acontece na Terra. Não, não podemos deixar que continuem. "

Entre as 10 estratégias de manipulação através da mídia desenvolvidas por Noam Chomsky, uma explica que se você tratar uma pessoa adulta como se ela tivesse12 anos de idade, sua reação desprovida de senso crítico será como a de uma pessoa de doze anos ou menos. Mas cada vez mais as pessoas estão cansadas ​​de serem tratadas como crianças. A grande mídia continua a fotografar imagens de homens e brutamontes barbudos empunhando Kalashnikovs e lançadores de foguetes construídos no Ocidente. O importante é encontrar um inimigo. Sem aprofundamento de quem o criou, quem lhe dá armas, quem o financia e principalmente, porque ele odeia tanto os ocidentais. Perguntas, cujas respostas poderiam rasgar o véu de hipocrisia que esconde uma realidade diferente do que tem sido dito.

Então, a cada dia você tem que engolir as opiniões venenosas de comentadores desinformados e/ou mal intencionados destinadas a provocar ódio entre os povos, em vez de apontar o dedo para a elite responsável. É possível que as TVs saibam oferecer apenas novelas e programinhas enlatados estilo americano para um público de idosos, donas de casa e desempregados?
Grande parte do público ocidental não tem conhecimento dos crimes cometidos pelos exércitos liderados pelos EUA no Oriente Médio. Da guerra civil que foi acionada. Poucas horas depois dos ataques em Paris, a França, com aviões de guerra, bombardeou uma cidade, Raqqa. Os jornais falaram de um "dilúvio de fogo", mas alguém se perguntou quantas mortes esses ataques causaram? A realidade é que os mortos de Paris valem muito mais do que aqueles que são dilacerados em vilas ou cidades com nomes impronunciáveis. E enquanto este racismo prevalecer, nunca haverá paz no mundo. Realmente se pensava que a destruição para fins neocoloniais de países como o Afeganistão, o Iraque, a Líbia e a Palestina não provocaria reações? Estamos apenas começando.

Nestes anos aos espectadores do Show de Truman foi dito que os militares ocidentais tem participado em missões de paz, como se a paz fosse semeada por tanques e metralhadoras e não com compreensão e respeito. Não nos dizem que as ações militares que ensangüentaram o Oriente Médio são todas guerras destinadas a acumular o petróleo necessário para mover a monstruosa máquina capitalista ocidental que exige doses cada vez maiores de energia. E "sabe-se que se todos os habitantes do mundo fossem europeus, precisaríamos de três planetas e se fossem todos americanos precisaríamos de seis. Enquanto esta insustentabilidade continuar, se pisará sempre nos pés de alguém.

Os meios de comunicação em coro, para justificar novas guerras, querem que acreditemos que pessoas desajustadas de vinte anos, que vivem nos subúrbios ocidentais e algumas dúzias de homens barbudos gritando no deserto podem ser antagonistas credíveis de países que possuem arsenais nucleares capazes de explodir o planeta dezenas de vezes. Como aconteceu com Saddam, Gaddafi, Bin Laden e os talibãs; os inimigos de hoje, os militantes do Isis, são fundamentais para os grandes interesses dos poderes econômicos ocidentais. Tanto, a pagar as conseqüências do ódio desencadeado serão as mulheres e os homens comuns em Paris, Beirute, Bagdá, Cabul e em Gaza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao