Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Primeira mudança de direção para a guerra entre Israel e Hamas

Sem lugar no abrigo da Onu para fazendeiro cego e sua família fugindo de ataque veemente

 Esta é a primeira boa notícia desde o início dessa guerra infinita.


Será que a Gran Bretanha vai finalmente abandonar seu rolo submisso em relação aos USA e  defender a justiça no meio oriente?

Assim que o toque a finados de 16 dias de luta em Gaza chega a 750 e os esforços diplomáticos para um cessar fogo se intensificam, Kim Sengupta visita a cidade de Khan Younis onde milhares de pessoas estão desesperadamente tentando escapar dos bombardeamentos de Israel
Suleiman Al Shrouf desceu agarrando a mão de sua filha. Sua outra mão estava esticada segurando os seus documentos.
As pessoas entorno dele na rua estava tentando encontrar abrigo em meio ao som de bombas.
Mas o cego fazendeiro de 63 anos e sua família chegaram perto do fim da viagem deles e ele estava determinado a levá-los para um refúgio o mais rápido possível.
Não havia lugar no abrigo da Onu, uma escola que agora está transbordando de famílias fugindo da guerra no lado leste da cidade.
A capacidade do prédio era para 800 pessoas mas agora estava tentando abrigar 1650.
O sr. Shrouf se lamentou. Uma de suas filhas discutiu com os oficiais.
Eles tentaram gentilmente convencê-la que teria lugar disponível em outro abrigo improvisado não longe dali.
" O senhor não vê o quanto meu pai esta cansado? Ele gastou horas pra nos trazer aqui, ele nem pode ver", exlamou Asma, então elas duas se sentaram exaustas.

" Tudo o que tínhamos foi destruído , os animais morreram, os pomares foram queimados", ela me disse.
" O que vamos fazer? Não sobrou nada. Você pensa que eles vão cessar o fogo logo?"
Respondi que era bem provável mas ela não me pareceu muito convinta.
Mais de 100.000 pessoas foram forçadas a se mudar dentro de um círculo cada vez mais apertado em Gaza, a faixa de terra longa apenas 42 km e uns poucos de largura.
O êxodo de suas casas foi acelerado pela invasão Israeliana por terra. Os Shoroufs vieram de Kozaa, uma aerea de fronteira onde tanques de guerra e navios armados com helicópteros Apaches foram usados pelo exército de Israel para combater os guerreiros de Hamas armados com foguetes propulsionados com granatas e morteiros.
O centro de Khan Younis estava lotado. " Nós não queremos que as pessoas acabem nas ruas," Hani Abu Muatapha, um voluntário do abrigo disse. " Mas eles correm perigo se começarem andar na direção de Gaza City por causa dos mísseis e tanques.
A ofensiva aqui chegou aos ferozes níveis de Shujaiya que foi devastada com pelo menos 100 mortos incluindo 6 soldados israelianos mortos e um sétimo desaparecido. Hamas declara ter capturado ele.
Um abrigo todavia se abriu inesperadamente perto dali. "Somos gratos aos cristãos por nos deixarem ficar aqui dando-nos uma chance de viver. Isto é muito mais do que os nossos camaradas musulmanos de outros países árabes estão fazendo," Nafez al-Tawela quis frisar. "Eu penso que se os cristãos tiverem problemas todos os Palestinos nessa sala vão se apressar a ajudá-los.
A sala e' um salão de uma igreja do século 12, S. Porphyrios in Zaytun. Em torno de 1200 pessoas, a maioria mulheres e crianças estão amontoadas aqui.
O bombardamento pelas forças de Israel destruíram reservatórios de água e danificaram algumas tumbas.
O arcebispo de Gaza, Alexios, disse: " As pessoas estão muito mais seguras aqui do que nas ruas e é um dever da igreja ajudá-los.
Estamos enfrentando tempos terríveis , esperamos que a paz chegue logo.
Hammond ' gravemente preocupado pelo toque a finados pelos civis em Gaza'

O ministro do Exterior Phillip Hammond disse hoje que ele esta' " gravemente preocupado com o aumento das mortes de civis em Gaza.
Ele levantou o tom durante a sua visita a Israel quando ele incitou um rápido cessar fogo entre Israel e Hamas.
Al mesmo tempo a chefe das Nacões Unidas, a britânica Lady Amos, disse que uma criança morreu a cada hora nos últimos dois dias e apelou: " a batalha tem que parar"".
O sr. Hammond disse que a Gran Bretanha aceita o direito de Israel se defender dos ataques de foguetes " mas somos gravemente preocupados com o contínuo aumento das mortes de civis."
Ele falou ao lado do primeiro ministro de Israel Binyamin Netnyahu mas observadores disseram que as expressões dos corpos dos dois eram antagônicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao