Pesquisar este blog

segunda-feira, 10 de junho de 2013

O Cheiro - Elemento Predominante nas Relações Interpessoais


Recentes descobertas afirmam que cada ser humano ha um cheiro único, não imitável, que o identifica mais do que qualquer outra coisa.
Estudos foram feitos desde muitos anos, em outro blog publico uma copia resumida de um estudo feito pela CIA, onde você pode encontrar um link para o artigo original em inglês, no site da Agencia.
Parece que o cheiro seja a característica mais importante de um indivíduo, aquele cheiro único que a gente sente e que nos atrai ou repugna em uma pessoa, quando a gente diz que o nosso "santo" não bate com o daquela pessoa.
Uma pessoa pode ser linda fisicamente e não nos atrair sexualmente enquanto outra pode ser apenas normal ou até mesmo feia e deixar a gente sem fôlego.
Claro que depende da sensibilidade, do savoir faire, do "toque" do/a parceiro/a e até mesmo do respiro, do sentimento que se percebe nos olhares, dos movimentos e da sintonia que se instaura entre um casal mas se não tiver aquela coisa inconsciente que os liga, nada funciona.
Creio que este componente seja o cheiro e estou pesquisando um modo para descobrir o que influencia o cheiro, se existe um modo para mudá-lo ou se  nascemos com um cheiro imutável.
Estou falando  daquele cheiro individual, não  estou falando de hálito ou suor, é aquele cheiro sutil que os cães sentem com facilidade e que a gente pode somente intuir.
Um odor ou fragrância (vulgarmente referido como um aroma) é causado por um ou mais compostos químicos volatilizados, geralmente a uma concentração muito baixa, que os seres humanos ou outros animais percebem pelo sentido do olfato.

A percepção do Odor é um sentimento primitivo. O sentido do olfato permite o prazer, pode
subconscientemente avisar do perigo, ajudar a localizar amigos, encontrar comida, ou detectar predadores. Os seres humanos têm um surpreendentemente bom sentido do olfato (mesmo que eles só tenham 350 genes funcionais de receptores olfativos em comparação com o 1300 encontrado em ratos) correlacionado com um declínio evolucionário, no sentido do olfato.
A percepção do odor é um processo complexo que envolve o sistema nervoso central, que pode evocar respostas psicológicas e fisiológicas. Como o sinal olfativo termina em ou perto da amígdala, os odores estão fortemente ligados às memórias e pode evocar emoções.
 Os odores podem perturbar a concentração, diminuir a produtividade, provocar sintomas, e, em geral, aumentar o desagrado por um ambiente particular.
 Os odores podem afetar o gosto por uma pessoa, lugar, comida ou produto como uma forma de condicionamento.
 Memórias evocadas por odores são significativamente mais emocionais e sugestivas do que as lembradas visualmente ou auditivamente.
 Odores podem condicionar estados experienciais e quando encontrado mais tarde têm influências sobre o comportamento direcional.
Mudanças nos odores corporais são provocadas por mudanças do estado emocional.
Odores corporais humanos influenciam as relações interpessoais e estão envolvidos em comportamentos adaptativos, tais como a penhora dos pais em recém-nascidos ou escolha do parceiro em adultos. "As mães podem discriminar o odor de seu próprio filho, e as crianças reconhecem e preferem o odor do corpo de sua mãe ao de outra mulher. Este odor maternal aparece para orientar crianças em direção ao peito e tem um efeito calmante." O odor corporal está envolvido no desenvolvimento do vínculo mãe-bebê e é essencial para o desenvolvimento social e emocional de uma criança trazendo sentimentos de segurança.

Como uma pessoa cheira é fundamental para encontrar um amante. O odor corporal é um sinal sensorial crítico para a seleção de parceiros, porque é um sinal de saúde imunológica. As mulheres preferem homens com grandes complexos (MHC) genótipos de histocompatibilidade e odores diferentes dos próprios, especialmente durante a ovulação. Biologicamente fêmeas tendem a escolher parceiros "que são mais susceptíveis de garantir a sobrevivência da prole e, assim, aumentar a probabilidade de que a contribuição genética será reprodutivamente viável."
Estudos têm sugerido que pessoas podem usar sinais de odores associados com o sistema imune para selecionar parceiros.
Usando uma técnica de imagem do cérebro, os pesquisadores suecos mostraram que o cérebro dos homens gays e heterossexuais respondem diferentemente a dois odores que podem estar envolvidos na excitação sexual, e que os homens gays respondem da mesma forma que as mulheres heterossexuais, embora não pôde ser determinado se isso foi causa ou efeito.
O estudo foi expandido para incluir as mulheres lésbicas, os resultados foram consistentes com descobertas anteriores que significa que as mulheres lésbicas não eram tão sensíveis aos odores  masculinos, enquanto a sua resposta às sugestões do sexo feminino foi semelhante para homens heterossexuais. De acordo com os pesquisadores, isso sugere um possível papel para os feromônios humanos na base biológica da orientação sexual.

Feromônios e cheiros

Por que você se sente atraído por uma pessoa e não por outra? Você escolhe um parceiro pelo seu cheiro? Será que as respostas estão nos feromônios?
Os feromônios são sinais químicos que alteram o comportamento de um animal, sem que  o animal esteja ciente disso. Feromônios são frequentemente envolvidos em comportamentos sexuais.
Considerando que os animais e as pessoas conscientemente apreciam cheiros - eles se sentirão atraídos ou se afastarão com desgosto - os feromônios não são conscientemente percebidos. Eles mudam o comportamento de um animal de uma forma inconsciente e involuntária.
Os feromônios foram descobertos há 50 anos em insetos e os cientistas sabem que os ratos os usam. No entanto, até recentemente não ha nenhuma evidência de que os humanos utilizem os feromônios de alguma forma.
Agora, cientistas da Universidade Rockefeller e da Universidade de Yale identificaram um gene humano relacionado com feromônios.
O gene, chamado V1RL1, é o primeiro a ser relatado em humanos. Os pesquisadores acreditam que ele produz uma proteína que irá detectar feromônios. Eles suspeitam que esse "receptor de feromônio 'está nas membranas mucosas que revestem o nariz humano. Mais difícil será descobrir o que exatamente esse receptor pode fazer e se ele pode influenciar o comportamento sexual humano.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao