Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de maio de 2013

O Preconceito Contra os Homossexuais Desde tempos Imemoriais


Há uma passagem na Primeira Epístola aos Coríntios que gera controvérsias entre os religiosos e teólogos:
Cquote1.svg9 Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os malakoi, nem arsenokoitai, nem os idólatras, nem os adúlteros, 10 nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. Cquote2.svg
— I Coríntios 6:9-10
Esta passagem em que  Paulo, para alertá-los de seus erros, lembra da lei judaica aos cristãos de Corinto, tem sido alvo de intensas discussões quanto a sua tradução. 
As palavras malakoi e arsenokoitai ao longo dos séculos têm sido traduzidas de forma bem distintas.
Quanto a palavra malakoi (que literalmente significa "mole", "macio") já houve versões bíblicas que a traduziram como "depravados", "pervertidos", "efeminados", "efebos", "meninos prostitutos" e algumas versões modernas chegaram até mesmo a falar em "homossexuais". 
Entretanto, até a Reforma no século XVI no Catolicismo pensava-se que tal palavra significasse "masturbadores". 
Sabe-se, porém, que para além de seu sentido literal de "mole" ou "macio", tal termo, quando usado para adjetivar pessoas, pode também ser entendido como "lasso", "irrefreável", "devasso" ou mesmo "efeminado".
E é a partir dessa última tradução que se tem entendido por parte dos religiosos tradicionais que, portanto, existiria no texto uma condenação aos homossexuais. 
Segundo essa concepção um homem lasso, promíscuo e efeminado só poderia se tratar de um homossexual.
Não obstante, há uma séria contra-argumentação a esse entendimento.
Uma grande, e hoje crescente, parte dos estudiosos tem questionado essa interpretação, mostrando que a palavra malakoi, mesmo quando traduzida como "efeminado" jamais pode ser entendida como uma referência a homossexuais. 
Para tal intento, mostram que tal tradução é ambígua uma vez que o termo "efeminado" filologicamente sempre significou, para além de "pusilânime", também "mulherengo", e é esse o sentido que a palavra original tinha nos tempos de Paulo - o que, de fato, é coerente com outras passagens bíblicas que condenam os promíscuos e devassos, como Apocalipse 21:8 e 22:15. 
Tais críticos lembram também que a palavra "efeminado" só adquiriu conotação de "homossexual" na Modernidade, de modo que inserir essa tradução nos escritos de Paulo seria um gritante anacronismo e algo profundamente descabido. 
No intuito de comprovar tal entendimento, acrescentam que até a era moderna, nunca, em nenhum texto, em nenhuma época sequer a palavra malakoi significou "homossexual" ou conceito semelhante, e desafiam a quem possa mostrar o contrário.
Já em relação à palavra arsenokoitai a controvérsia é ainda maior. Uma vez que ela, em um intervalo de três séculos, somente aparece em dois escritos de Paulo e, posteriormente nos Oráculos Proféticos (Sibylline Oracles) e em mais nenhuma outra literatura na história - e em ambos os casos a palavra se encontra dentro de uma lista, de modo que seu significado não poder ser alcançado a partir de um contexto - fica impossível determinar seu significado literal.
 Há, porém, um certo consenso de que esta palavra se trate de um neologismo criado por Paulo, que teria juntado as palavra sarsen, que significa "homem" e koiten, que significa "cama". 
Vale notar que para alguns religiosos - como os tradutores da NVI e A Bíblia na Linguagem de Hoje - tal dado já seria suficiente para levá-los a crer que tal palavra se referiria, sim, à "homossexual", uma vez que o pecado que um homem pode fazer na cama seria, em seus pontos de vista, quase certamente, um ato homossexual. 
Tal entendimento - acusado de simplista e homofóbico pelos liberais - com efeito, não pareceu dar conta de desvendar a palavra em questão para a maioria dos exegetas e acadêmicos. 
Você deve estar se perguntando porquê os líderes das igrejas, a começar pela Católica transformaram desta forma o significado original dessas palavras criando assim um preconceito tão grande contra os homossexuais.
Na verdade, o interesse principal das igrejas não é pregar o Evangelho de Jesus mas visam exclusivamente a se enriquecer e perpetuar seu poder ao longo dos séculos. A doutrina ou dogmas das igrejas são quase sempre mais importantes do que a verdadeira religião.
A historia é cheia de exemplos, não vou entrar nos particulares, o leitor seguramente conhece vários exemplos disso. 

Seria natural esperar que o cristianismo ensinasse os mandamentos de Jesus mas não é assim. 
Jesus não veio para julgar, ele veio salvar a humanidade, ele ensinou o amor, a tolerância, a caridade.
Os cristãos ao contrário incitam ao ódio, à violência, à intolerância. 

O interesse de alguns líderes é confundir, manter as massas de crentes envolvidas com pseudo problemas, lutando uns contra os outros para poderem agir imperturbados cobrando dízimos e ofertas para gastar com seus próprios luxos sem que os fiéis se interroguem se isso é justo ou não. 
Enquanto isso seus seguidores se perdem em maldades, injustiças e nas ilusões do mundo.
O mundo foi cegado pelas meias verdades, enganos e discrepâncias criadas para defender certos interesses escusos, muitasas pessoas não conseguiriam reconhecer a Verdade nem mesmo se ela aparecesse com escrito na testa VERDADE! Incrivelmente as pessoas preferem acreditar nas mentiras que lhes incutem medo do que na verdade. 
Grande parte da população é vítima de imensas manobras por parte dos poderes dominantes como o dos líderes religiosos e políticos, que tem como objetivo dirigir as mentes para uma ou outra direção com a finalidade de criar profitos econômicos e políticos para si mesmos. 
O publico vive distraído pelos programas de TV, pelas redes sociais, pelo trabalho, pelos falsos problemas criados pelos detentores do poder para que não pensem nas coisas que realmente contam.
Pessoas bem intencionadas e sinceras como os cristãos, falo dos verdadeiros cristãos, possam querer realmente discriminar e ofender os homossexuais.
É necessário uma profunda reflexão sobre a verdade, precisamos procurar a intuição do Espirito Santo invés de aceitar sem questionar o que nos vem sendo dito nos púlpitos.
Os ensinamentos de Cristo nos ensinam a amar! 
Os direitos dos homossexuais não diminuem os dos Heterossexuais. 
Qual seria então a razão para combater contra eles? 
Deus criou o universo com uma diversidade infinita. Vários climas, pessoas de varias cores, culturas, gostos; diferentes paisagens, para não falar em planetas, estrelas, etc.

Porque os fundamentalistas, sejam eles cristãos ou muçulmanos querem uniformizar as pessoas?
Talvez sonhem vencer  lá onde Hitler faliu? 
O fundamentalismo alimenta o ódio, a incompreensão, a intolerância, a ignorância. Nunca nos esqueçamos da tragédia da segunda guerra mundial motivada pelo sonho alucinado de Hitler de eliminar as diferenças entres os homens e criar uma raça superior.
Foi Deus que nos fez diferentes, só Ele sabe o porquê. A lei de Deus cria harmonia no universo, a dos homens cria restrições, laços, indicações de conduta para vivermos na sociedade sem que a transformemos em um caos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor me de a sua opiniao