Pesquisar este blog

segunda-feira, 18 de março de 2013

A Homofobia e a Religião

Muitos me perguntam qual é a minha opinião sobre o assunto, ficam confusos por haver uma sensação interior que não combina com a doutrina evangélica sobre a homossexualidade. O que pensam e sentem realmente não é coerente com o que nos ensinam nas igrejas e de consequência sentem que algo não está certo, que a verdade foi falsada.
E' verdade, a verdade é bem mais simples do que parece mas para descobri-la precisamos ser completamente sinceros e olhar para dentro de nós mesmos. A verdade está sempre dentro de nós. O erro que cometemos é o de ouvir as verdades alheias e tomá-las por ouro liquido.
Precisamos analisar os vários mandamentos das diversas Escrituras para entendermos o assunto e chegar à uma conclusão lógica.
A lógica é a base do universo. Tudo tem uma lógica infalível. Cada movimento de cada átomo, de cada astro, de cada galaxia tem uma lógica que vem de Deus.
Deus é de uma lógica infalível.
Se analisarmos o princípio do universo segundo o qual Deus é Amor fica difícil acreditar que Ele tenha criado seres destinados à perdição total, completa e irreparável.
O primeiro engano parte do principio que uma pessoa "escolhe" ser homossexual, o que é absolutamente irreal.
Ninguém jamais escolheria ser um homossexual pelas obvias razões que isto implica.
Alguns anos atrás a imprensa noticiou os resultados de um estudo feito por dois americanos segundo o qual a orientação sexual de um indivíduo é definida no momento da sua concepção. Em seguida a noticia desapareceu e hoje tentei achar alguma referencia na internet smas infelizmente não tive sucesso.

Nos resta somente usar o bom senso.

Se somos todos filhos de Deus, como seria possível que uma parte tão grande da humanidade fosse criada com o destino pré determinado de perir no inferno?
A que teria servido então a vinda de Jesus (e dos outros vários Avatares) na terra se alguns seres humanos estavam já irremediavelmente condenados à perdição?
Como a homossexualidade não é uma escolha, assim como não o é a cor da pele, a nacionalidade, a altura do corpo e outras características de qualquer ser humano, uma pessoa por mais determinada que seja não o conseguiria jamais mudar seu orientamento sexual.
Poderia enganar-se a si mesmo e a sociedade mas no fundo restaria uma pessoa frustrada, triste sozinha, revoltada.
Se sentiria inadequada, aquém das expectativas dos outros, impura, contra a natureza.
Mas onde está a justiça e a lógica nisso tudo?
Todos somos iguais diante de Deus e  consequentemente todos temos os mesmos direitos de sermos felizes.
Andrew Stetson como simbolo universal de sensualidade
Quem pensa o contrario não conhece a caridade (ler 1 Corintios, 13). Como pode uma pessoa pretender que o seu próximo, a quem deveria amar como a si mesmo, renuncie ao amor, a um companheiro, a uma vida serena?
Os homofóbicos jamais se puseram no lugar dos homossexuais?
Eu tenho um amigo que se auto declara homofóbico com orgulho e se considera um cristão.
Nunca perguntei-lhe se ele sabe realmente o que isto significa.
Não consigo conversar com ele, o desprezo pela sua maldade e ignorância e penso que ele não seria capaz de entender o que realmente faz sentido visto que é altamente inseguro e pretensioso ao mesmo tempo não a caso é um malafaiano.
A homofobia é burrice e uma maldade. Esta vinheta da MTV é muito simpática e talvez fale melhor aos corações dos burros do que este blog, aliás creio que os homofóbicos nem mesmo vão ler este blog.
Eu acredito que a união de dois corpos significa um casamento para Deus, não tem importância se este compromisso é registrado em cartório.
Segundo a Lei do Karma quando duas pessoas se unem sexualmente, não importa o sexo, elas se unem também diante de Deus, unem seus karmas, ou destinos e se responsabilizam uma pela outra nos seus percursos espirituais, que tem como objetivo final o encontro com Deus.
O adultério de um dos dois envolve a terceira pessoa no processo kármico fazendo com que os três levem os karmas uns dos outros.
A traição consiste justamente em obrigar o/a parceiro/a a levar o karma do/a próprio/a amante.
Quando se separam, segundo algumas escrituras sagradas orientais, precisam esperar o período de um ano antes de se unirem sexualmente com outro/a parceiro/a. Isto obviamente vale pra todo mundo.

Há uma passagem na Primeira Epístola aos Coríntios que gera controvérsias entre os religiosos e teólogos:
Cquote1.svg Não errais: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem malakoi, nem arsenokoitai… herdarão os reino de Deus" Cquote2.svg
I Coríntios 6:9-10
Esta passagem em que São Paulo, para alertá-los de seus erros, lembra da lei judaica aos cristãos de Corinto, tem sido alvo de intensas discussões quanto a sua tradução. As palavras malakoi e arsenokoitai ao longo dos séculos têm sido traduzidas de forma bem distintas.
Quanto a palavra malakoi (que literalmente significa "mole", "macio") já houve versões bíblicas que a traduziram como "depravados", "pervertidos", "efeminados", "efebos", "meninos prostitutos" e algumas versões modernas chegaram até mesmo a falar em "homossexuais". Entretanto, até a Reforma no século XVI e no Catolicismo no século XX, pensava-se que tal palavra significasse "masturbadores ou mulherengos". Sabe-se, porém, que além de seu sentido literal de "mole" ou "macio", tal termo, quando usado para adjetivar pessoas, pode também ser entendido como "lasso", "irrefreável", "devasso" ou mesmo "efeminado". E é a partir dessa última tradução que se tem entendido por parte dos religiosos tradicionais que, portanto, existiria no texto uma condenação aos homossexuais.
Segundo essa concepção um homem lasso, promíscuo e efeminado só poderia se tratar de um homossexual.
Mathis Streitwieser no Imaginario coletivo de prazer completo
Não obstante, há uma séria contra-argumentação a esse entendimento. Uma grande, e hoje crescente, parte dos estudiosos tem questionado essa interpretação, mostrando que a palavra malakoi, mesmo quando traduzida como "efeminado" jamais pode ser entendida como uma referência a homossexuais. Para tal intento, mostram que tal tradução é ambígua uma vez que o termo "efeminado" filologicamente sempre significou, para além de "pusilânime", também "mulherengo", e é esse o sentido que a palavra original tinha nos tempos de Paulo - o que, de fato, é coerente com outras passagens bíblicas que condenam os promíscuos e devassos, como Apocalipse 21:8 e 22:15.
Tais críticos lembram também que a palavra "efeminado" só adquiriu conotação de "homossexual" na Modernidade, de modo que inserir essa tradução nos escritos de Paulo seria um gritante anacronismo e algo profundamente descabido.
No intuito de comprovar tal entendimento, acrescentam que até a era moderna, nunca, em nenhum texto, em nenhum época sequer a palavra malakoi significou "homossexual" ou conceito semelhante, e desafiam a quem possa mostrar o contrário.
Já em relação à palavra arsenokoitai a controvérsia é ainda maior. Uma vez que ela, em um intervalo de três séculos, somente aparece em dois escritos de Paulo e, posteriormente nos Oráculos Proféticos (Sibylline Oracles) e em mais nenhuma outra literatura na história - e em ambos os casos a palavra se encontra dentro de uma lista, de modo a seu significado não poder ser alcançado a partir de um contexto - fica impossível determinar seu significado literal.
Há, porém, um certo consenso que esta palavra se trate de um neologismo criado por Paulo, que teria juntado as palavras arsen, que significa "homem" e koiten, que significa "cama".
Vale notar que para alguns religiosos - como os tradutores da NVI e A Bíblia na Linguagem de Hoje - tal dado já seria suficiente para levá-los a crer que tal palavra se referiria, sim, à "homossexual", uma vez que o pecado que um homem pode fazer na cama seria, em seus pontos de vista, é quase certamente, um ato homossexual.
Tal entendimento - acusado de simplista e homofóbico pelos liberais - com efeito, pareceu não dar conta de desvendar a palavra em questão para a maioria dos exegetas e acadêmicos. Continue lendo.

Creio todavia que a Bíblia seja cheia de contradições nas suas traduções modernas.

Leia o texto a seguir e sorria!

David Gandy é um homem realmente belo para uma famosa grife
CARTA  PARA  A RÁDIO
Dra. Laura Schlesinger é uma famosa jornalista americana, um programa de rádio dispensa seus conselhos para as pessoas que os pedem por telefone.
Algum tempo atrás, Laura disse que a homossexualidade, de acordo com a Bíblia (Lev.18: 22) é uma abominação, e não pode ser tolerada em nenhuma circunstância.
A seguinte carta foi enviada à Dra. Laura SCHLESINGER no mesmo dia em que a transmissão foi ao ar.













"Cara Dra. Schlesinger, estou escrevendo para agradecer o seu trabalho educativo sobre as leis do Senhor.
Eu aprendi muito com seu show, e tento compartilhar o conhecimento com as pessoas como possível. Agora, quando alguém tenta defender a homossexualidade, eu simplesmente o lembro que Levítico 18:22 claramente afirma que isso é uma abominação. Fim do debate.
No entanto, eu preciso de sua ajuda, sobre outras leis específicas e como aplicar.
Eu gostaria de vender minha filha como escrava, como Êxodo 21:7 autoriza.
O que você acha que seria um bom preço de venda?
Quando acendo um fogo sobre o altar sacrificial e queimo um touro, eu sei da escritura que ele produz um aroma agradável ao Senhor (Lev.1.9).
O problema é com os meus vizinhos: a alegação dos blasfemos é de que o cheiro não é agradável.
Devo chicoteá-los?
Eu sei que posso ter contato com uma mulher enquanto ela não está menstruada (Lev.15:. 19-24).
O problema é como perguntar? Muitas mulheres poderiam se ofender.
Os versículo 44 de Levítico 25 afirma que eu posso possuir escravos, tanto homens quanto mulheres, se eles forem comprados de nações vizinhas.
Um amigo meu afirma que isso se aplica a mexicanos, mas não aos os franceses.
Você pode esclarecer?
Por que eu não posso possuir escravos franceses?
Eu tenho um vizinho que insiste em trabalhar no sábado. Êxodo 35:2 claramente afirma que ele deve ser condenado à morte.
Eu sou moralmente obrigado a matá-lo eu mesmo?
Um amigo meu acha mesmo que comer moluscos seja uma abominação (Levíticos 11:10), porém não tão grave quanto a homossexualidade.
 Nem todos concordam. Você pode esclarecer isso?
Também o versículo  20 de Levítico 21 afirma que eu não posso aproximar-me do altar de Deus se eu tiver com defeito na visão.
 Eu tenho que admitir que eu uso óculos de leitura ... A minha visão tem que ser 10/10 ou há algum jeitinho?
Muitos dos meus amigos homens usam ​raspar o cabelo, inclusive aqueles que estão perto das têmporas, mesmo que isso seja expressamente proibido pela Bíblia (Levítico 19:27).
Como eles devem morrer?
 Novamente em Levítico (11:6-8) está escrito que tocar a pele de porco morto me faz impuro. Para jogar futebol eu tenho que usar luvas?

O meu tio tem uma fazenda e foi contra Lev. 19:19, plantou duas culturas diferentes no mesmo campo, sua esposa também violou o mesmo passo, porque usa roupas feitas de dois tipos diferentes de tecido (algodão / poliéster).
Não é só isso, meu tio blasfema sempre. É realmente necessário que eu junte todos os habitantes da cidade para apedrejá-lo, conforme prescrito nas escrituras?
Não poderíamos simplesmente colocá-lo no fogo enquanto dorme como aconselha simpaticamente Lev 20:14 para as pessoas que se deitam com parentes?
Eu sei que a senhora estudou esses temas em profundidade, então eu tenho certeza que pode responder a estas perguntas simples.
Nesta ocasião, agradeço novamente por ser diligente em nos lembrar que a palavra de Deus é eterna e imutável.
 

Um de seus devotos admiradores"